Azáfama; grande atividade; agitação; rebuliço.

26
Dez 08

 

No Alentejo, começam a surgir os primeiros candidatos às eleições autárquicas de 2009. Em Redondo temos o Alfredo Barroso a recandidatar-se em Redondo, em Estremoz o Alberto Fateixa, em Castro Verde um independente apoiado pelo PS, em Beja o Pulido Valente apoiado pelo mesmo partido, certamente outros seguir-se-ão. Nas eleições de 2005, os independentes mostraram resultados, foi assim em Alvito e em Redondo.

 
Viana do Alentejo tem estado parada neste mandato do Sr. Estevão Pereira, o pouco que faz por regra faz mal, é assim na urbanização e obras, nas políticas culturais, na área social, no apoio ao desenvolvimento económico, no turismo. Resumindo, foram três anos e dois meses de políticas locais para esquecer. Enquanto cidadãos e contribuintes, sentimos duplamente dificuldades. Por um lado, o governo do país a atravessar dificuldades para apoiar todos os sectores da sociedade e a tardar a implementar as reformas necessárias na saúde, na educação, na administração pública e na justiça.
Por outro lado, uma administração local incipiente, chega tarde aos problemas, não dialoga com os outros poderes, não dá confiança ao comum dos cidadãos. Usa todos os estratagemas e meios públicos para fazer propaganda, não aceita a crítica/contraditório, os interesses públicos confundem-se com os privados e não tem um rumo claro para desenvolver o nosso concelho.
Promessas não cumpridas por uma equipa desavinda, depois de demissões, rupturas e muita “faca e alguidar” internamente, muito trabalho mal feito, assente em maus diagnósticos e numa completa ausência de planeamento.
 
Até às eleições autárquicas, vamos assistir a um desfile de medidas demagógicas, populistas e eleitoralistas a quem se agarra a todos os meios ao seu alcance. Dificilmente a comunidade atenta deixará de se organizar para combater políticas municipais erradas com claros prejuízos para os cidadãos locais, gastando mal os nossos impostos, hipotecando as gerações futuras e comprometendo o desenvolvimento sustentável das três freguesias do concelho.
No concelho de Viana do Alentejo está a despoletar um movimento de cidadãos independentes apoiados por um partido, esse facto político é da maior importância para a dinâmica de Viana, Alcáçovas e Aguiar. Será porventura a última oportunidade para pessoas sérias, competentes e desinteressadas se unir para mostrar que há mais vida para além do descalabro actual. Participar no movimento, dar o contributo pessoal, envolver-se nas iniciativas é um dever de cidadania e uma missão individual da maior necessidade e urgência. Como alguém dizia, esta é uma mesa com lugar para tod@s
publicado por polvorosa às 22:29

O Partido Socialista a esconder-se sob a capa de "um movimento independente", como se fossemos todos parvos. Até dão dó. São um saco de gatos assanhados, até se comem uns aos outros quanto mais aos que lá cairem. Aproveitem para fazer show off enquanto estão sózinhos no terreno. Assim que os outros começarem o trabalho eleitoral para mostrar o que vocês são, as mascaras vão cair. Mais uma vez.
Anónimo a 27 de Dezembro de 2008 às 14:51

Car@ comentador(a), tenho orgulho em pertencer a este movimento, pelos princípios fundamentais que irão corporizar o programa e lista de candidatos. Estes princípios fundamentais, reflectem uma cultura democrática e valores éticos mínimos para se poder a partir daí, com o COLECTIVO, SEM PEIAS E SUBMISSÕES A NENHUM DIRECTÓRIO PARTIDÁRIO, construir a alternativa à má gestão autárquica, protagonizada pelo actual executivo, apoiado pela clientela que tem delapidado em seu proveito os recursos humanos e materiais disponíveis.
Sabemos que aqui e ali vão dando “milho aos pombos”, tal Major Valentim, mas fora das vistas do povo que dizem defender, enchem o bandulho sem nenhum despudor.
Tenham um pouco de paciência, quando chegar a hora, de acordo com a calendarização e estratégia por nós definida, verão quem afinal são os “gatos assanhados” que saem dentro do saco.
Afinal sairão de lá cidadãos normais, mas todos com a sabedoria dos humildes. Não têm a vossa reconhecida arrogância, que vos matará mais tarde ou mais cedo politicamente.
Quanto a comermos uns aos outros, não seguimos o vosso processo de canibalização, no qual têm degolado o que resta dos militantes da vossa concelhia com a ideologia da vossa sigla partidária.
Tanto quanto tem vindo a público, os senhores é que se têm desgastado em lutas tribais, tão agarrado que estão ao poder.
Os voluntários e apoiantes deste movimento em crescimento, irão ter certamente uma liderança forte, aberto a todos, onde unicamente não será permitida a entrada de provocadores e muito menos agentes duplos.
Nós estamos na luta pelo desenvolvimento do concelho voluntariamente, não utilizamos o tempo de trabalho na autarquia e os respectivos recursos para fazer propaganda eleitoral. Trabalhamos com espírito militante, igual àquele que os comunistas e antifascistas doutros tempos praticavam a troco de nada.
É isso que vos anda a confundir, mas nós estamos atentos e humildemente sabemos que travamos uma luta com menos recursos materiais. Não temos ao nosso dispor os autocarros da autarquia, não podemos pagar do nosso bolso a toda a população os almoços e encontros/confraternizações. Não “roubamos” dinheiro do orçamento da Câmara para esses eventos.
Não inebriamos o eleitorado com promessas por cumprir, tal como tem sido a vossa prática.
Queremos formar no concelho de Viana uma verdadeira comunidade de cidadãos e cidadãs, onde caberão todos, inclusivamente os senhores.
Acabar com as discriminações estéreis, pôr o interesse do concelho acima dos interesses pessoais, voltarmos a ser uma comunidade tal com já fomos em momentos da nossa história.
As máscaras caíram com o 25 de Abril, com a luta de décadas de todos os anti-fascistas. O actual executivo autárquico, com a sua prática populista e sem transparência na gestão da coisa pública, profana a memória desses combatentes.

Antónia Pires
Anónimo a 27 de Dezembro de 2008 às 23:59

Tenho a impressão que o movimento de cidadãos se deve ter esquecido de tirar alguma licença na Câmara para poder desenvolver a sua actividade.
Por acaso estive a ver a péssima página da internet da autarquia e não vejo lá nenhum regulamento eleitoral.
Bom, vamos fazendo o nosso trabalho, esperando que não nos venham multar.
Anónimo a 28 de Dezembro de 2008 às 00:12

Dizer que a lista de "independentes" apoiada pelo Partido Socialista está livre das ordens dimanadas dos directórios políticos é um tanto ou quanto forçado.

Nenhuma lista de independentes suportada por um partido é, de facto, independente deste, mais não seja por servir os seus interesses de estratégia política.

Por último, não én o facto de a lista ser composta por pessoas não filiadas que a torna independente. Em Castro Verde, todos os elementos que integram a lista do Partido Socialista são conotados com ele, desde sempre e de forma desassombrada.
João Nuno Sequeira a 28 de Dezembro de 2008 às 12:38

E que dizer do nosso Estêvão? Mais independente que aquilo não há. De engano em engano lá conseguiu esfrangalhar as estruturas locais do Partido. Um exemplo de que se pode estar uma eternidade sentado na cadeirazinha sem dar contas a ninguém, nem aos que votaram nele.
Anónimo a 5 de Janeiro de 2009 às 22:01

Como dizia Deng Hsiao-Ping: " Seja branco ou preto, o que importa é que o gato apanhe os ratos!"
Ao fim desta herança lastimosa de autarquia PCP/PEV, no concelho de Viana do Alentejo, somos totalmente pragmáticos relativamente a esta questão.
Desde que sirva o concelho …. se o PS tira ou não dividendos políticos desta estratégia estamo-nos nas tintas.
Se as pessoas em Castro Verde que “integram a lista do Partido Socialista são conotados com ele, desde sempre e de forma desassombrada”, é um problema que não nos diz respeito.
Estou a ver que o PCP em Castro Verde irá integrar nas suas listas alguém conotado com o CDS. Uma vez em Vila Viçosa o PCP sacou o Vereador do CDS e passou-o para o executivo para ficar com maioria n Câmara.
O que eu vejo quase sempre é que as listas do PCP, já tiveram várias caras: APU, FEPU, CDU e PCP/PEV. Neste caso onde é que está o desassombro?

João Mendes Godinho
Anónimo a 28 de Dezembro de 2008 às 14:17

Só excrevo para dixer que todox extex nomex anteriores xão muito conhexidox por cá. O partido Xuxialixta axou um caminho de enganar maix unxs . Outra vex.
O QUE EU QUIZER a 28 de Dezembro de 2008 às 14:59

Falando em enganos, não leu o programa eleitoral da CDU?
Sabe o que o Estêvão e os outros Conhecidos fizeram quando se sentaram nas poltronas do poder por mais 4 anos? Distribuíram logo na semana seguinte Xuxas à população, pois desde o primeiro dia sabiam que não iam cumprir o que tinham prometido na campanha eleitoral. Muitos não aceitaram as Xuxas e ficaram a Xuxar nos dedos.

Veja lá esta promessa do programa eleitoral do actual executivo:

Trabalhar para a criação de zona oficinal de Aguiar
- Continuar a apoiar a instalação de empresas, quer nas zonas industriais, quer em outras áreas do concelho.

Grandes aldrabões
Anónimo a 1 de Janeiro de 2009 às 12:25

Correio electrónico:
polvorosa@sapo.pt
comentários recentes
Deslize ou talvez não a despedida não é inédita. "...
"De lembrar que no contexto mais difícil desde que...
Respeito o seu comentário, mas eu cá acho que foi ...
Achei descabido a alusão a Eusebio no discurso da...
Estatisticas de funcionários nas autarquias a níve...
pesquisar neste blog
 
links
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links