Azáfama; grande atividade; agitação; rebuliço.

27
Set 08

Na tarde de 20 de Setembro, o P.S. encheu um pavilhão em Guimarães com 12.000 pessoas vindas um pouco de todo o país em autocarros (incluíndo Évora) num comício à americana. O slogan futuro será "A Força da Mudança". Criou a Fundação "Res Publica". Nestas últimas semanas reuniu 2 vezes o Fórum "Novas Fronteiras", uma sessão sobre a Educação e a outra sobre as Políticas Sociais. Os ministros e secretários de estado andaram numa azáfama pelo país a entregar computadores no âmbito do e-escolinhas a crianças (a Ministra da Educação esteve em Portel). 

 

O P.S. revela ter várias tendências em si mesmo. A J.S. tentou avançar para a legalização de casamentos entre pessoas do mesmo sexo, mas o P.S. não deu luz verde porque não está no seu programa de governo, isto demonstra quão taxativa pode ser a intervenção de uma juventude partidária e o seu carácter instrumental. Manuel Alegre já a pensar nas eleições presidenciais caiu em cima daqueles jovens por considerar haver razões mais importantes nos tempos correntes do que aquelas questões ditas "fracturantes" defendidas por aqueles jovens como são o desemprego, a crise económica e até mesmo a segurança.
 
A oposição não se consegue mostrar e combater este P.S. tirando algumas iniciativas pontuais, os partidos políticos da oposição quase não existem. Por estes dias a oposição faz-se mais pelos sindicatos nacionais mesmo que o Código do trabalho esteja preparado para entrar em vigor já em Janeiro.
Como já o disse, o P.S.D. tem um excelente administrador de empresas a preparar os programas eleitorais deste partido, parece que conta com o apoio de 40 pessoas, mas para já não abre o jogo. Se a situação internacional dos mercados financeiros e da economia mundial continuarem assim, a decisiva e grande questão eleitoral de 2009 será mesmo a economia, aí o P.S.D. terá sem dúvida uma palavra a dizer.
Este silêncio da liderança do P.S.D. tem um aspecto positivo e um aspecto negativo. Positivo porque permite-lhe guardar as cartas lá mais para a frente quando estiver perto de eleições e aí jogo o trunfo sem que o P.S. pegue nessas medidas e as implemente, retirando consequentemente espaço de manobra ao centro-direita. Negativo porque quem não aparece esquece, a Dr.ª Ferreira Leite para além de trazer algum desgaste com as políticas do passado, dá agora a ideia de não apresentar nada de novo ao país limitando-se a dizer mal, propondo apenas mudança dos rostos não mudando efectivamente as políticas e aí está o problema do tardar em subir nas sondagens.
publicado por polvorosa às 00:56
tags:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.


Correio electrónico:
polvorosa@sapo.pt
comentários recentes
Deslize ou talvez não a despedida não é inédita. "...
"De lembrar que no contexto mais difícil desde que...
Respeito o seu comentário, mas eu cá acho que foi ...
Achei descabido a alusão a Eusebio no discurso da...
Estatisticas de funcionários nas autarquias a níve...
pesquisar neste blog
 
links
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links