Azáfama; grande atividade; agitação; rebuliço.

20
Set 08

António Vasquez Barquero é professor da Universidade Autónoma de Madrid e consultor do Banco Mundial e da ONU. Defende que a Política de Desenvolvimento Regional assenta em 3 pilares: Hardware; Software e Orgware.

 

O Hardware é constítuido por infra-estruturas para dotar a política regional e para melhorar a funcionalidade. Em especial Espaço Urbano, Escolas, Hospítais e Centros de Saúde, Espaços Públicos, Parques Industriais ou Centros de Negócio. Ou seja, infra-estruturas de promoção da coesão e da qualidade de vida.

O Sofware corresponde aos aos factores imateriais do Desenvolvimento. Aspectos qualitativos como os Recursos Humanos, difusão de Tecnologias, promoção da inovação e iniciativa empresarial, cultura de desenvolvimento, informação estratégica, Centros Tecnológicos e Parques de Ciência. 

E por fim, o Orgware que é a capacidade organizativa do território. Capacidade e dinâmica. Medidas e políticas para melhorar a eficiência, cooperação, parceria e avaliação para aceder ao Mercado. Mobilização dos vários actores.

 

Provavelmente a breve prazo, irá falar-se de Regionalização. O Alentejo tem 33% de superfície e apenas 5,2% dos habitantes portugueses. Na minha opinião, a nossa região não tem estado a conseguir desenvolver-se por diversas razões: desentendimento entre partidos políticos; acomodação dos caciques locais; interesses privados em detrimento do público; incapacidade de fazer progredir o tecido produtivo industrial; incapacidade de políticas públicas conjuntas intermunicipais; inexistência de estratégias partilhadas no campo social, económico, cultural, agrícola e turístico.

 

Para começar a resolver o problema, podíamos deixar de lado a duplicação de investimentos públicos desnecessários (até à escala local isso existe), incentivar a participação dos cidadãos e aumentar a transparência nos processos de tomada de decisão e avaliar inequivocamente os custos-benefícios com seriedade.  As pessoas têm de estar no centro das políticas, se isso não acontece, isto vai mesmo virar um deserto como dizia o outro.

 

Tirando algum Hardware, a maior parte dos conceitos de Barquero não estão a ser aplicados na região e muito menos no município de Viana do Alentejo. Será que os dirigentes não vêm que a região acentua fatalmente a sua sangria populacional, cada vez somos menos e com menos oportunidades de qualidade de vida. Continuar com guerras políticas desnecessárias, não só nos levam a parte nenhuma como acentuam o nosso atraso estrutural em relação a outras regiões e aos nuestros hermanos. Se isto não é um erro grosseiro...   

publicado por polvorosa às 16:17

Em primeiro lugar deixe-me dar-lhe os meus Parabéns pelo excelente blog, longe vai o dia da primeira visita e desde aí tento acompanhar diariamente o que aqui se publica.

Este post dá pano para mangas, capaz de suscitar o debate em torno do desenvolvimento do Nosso Alentejo...
Alentejo dos Alentejanos nascidos e/ou crescidos no Alentejo;
Alentejo dos Portugueses;
Alentejo dos Europeus;
Alentejo dos Marcianos;
...

A Globalização é uma realidade, não adianta fecharmo-nos nos nossos limites administrativios locais/regionais/nacionais e esperar que o vento traga o tão esperado desenvolvimento.
Enquanto não nos deixarmos de vaidades e querermos ter sempre um Hardware melhor que o vizinho, não adianta pensar em desenvolvimento.
De que serve ter a maior piscina, o maior estádio, o maior cinema se depois está subaproveitado?
Em que a receita com os utentes não dá sequer para os custos de funcionamento...
E em que muitas vezes para a sua construção é área social que sofre no corte de invstimento...

Não sou contra os equipamentos, óbvio que não, há que criar todo um conjunto de condições que faça a população fixar-se, mas precisarei de contruir tudo só para cortar fitas e por placas? Não poderia antes disponibilizar um autocarro que transportasse os meus eleitores ao municipio do meu vizinho?

É esta falta de sentido de cooperação e excesso de mesquinhez que depois estes autarcas levam para a escala nacional, vejam o futuro TGV, de Lisboa ao Porto terá 20 apiadeiros, e ai dele que não tenha, lá irá o senhor autarca fazer birra e criticar o Governo. Secalhar para um TGV com tantos apiadeiros mais vale o Alfa que já temos não?

Mas se é para ser mesquinho e invejoso então eu também quero que o meu Alentejo seja indemnizado como foi o Oeste por causa da OTA.

Ou nós não merecemos investimento?
Claro que merecemos, dizem os nossos responsáveis, temos vários PIN's aprovados para o Alentejo! Mas que tipo de PIN's? Aproveitamento turistico do Alqueva? Onde aos empresários todos os meses lhes irá sair o euromilhões e aos alentejanos restar-lhes-à o empregozito na construção desses investimentos e depois de construídos o empregozito como bagageiros e recepcionistas?

E mesmo assim cuidado, que o Skylander era um modelo tão bom que já voou..

Apostem na formação e esta gente terá outras oportunidades, mas formação a sério, nada de Centros Novas Oportunidades para encher chouriços e alterar estatisticas.


Enfim pensemos em Orgware...
E o burro sou eu... a 22 de Setembro de 2008 às 13:21

Muito obrigado pelo seu pertinente contributo.
Infelizmente gastam-se os impostos dos contribuintes e endividam-se os municípios. Sem diagnósticos, sem estratégia aplicável, sem executar planos, sem avaliação, ao sabor das marés.
Dá-me muita pena ver guerras políticas sobre a entidade regional do Turismo, sobre a descentralização de competências na educação para os municípios... é ver a hipocrisia dos directórios político-partidários e qual medíocre.
Os dirigentes não estão a actuar na óptica do desenvolvimento, apenas intervêm do ponto de vista administrativo-burocrata, neste turbilhão esquecem-se das pessoas, não se importam com os cidadãos.
Cumprimentos.
polvorosa a 22 de Setembro de 2008 às 17:48

Dada a temática abordada, tomei a liberdade de publicar este seu "post", com o respectivo link, no
.
Regionalização

http://regioes.blogspot.com
.

Cumprimentos
Antonio A Felizes a 19 de Novembro de 2008 às 16:04

Ex.mo Sr. António Felizes,

Agradeço a publicação do post no blog http://regioes.blogspot.com

Irei colocar aqui um link para o vosso interessante blog.

Votos de sucesso.
polvorosa a 19 de Novembro de 2008 às 17:30

Correio electrónico:
polvorosa@sapo.pt
comentários recentes
Deslize ou talvez não a despedida não é inédita. "...
"De lembrar que no contexto mais difícil desde que...
Respeito o seu comentário, mas eu cá acho que foi ...
Achei descabido a alusão a Eusebio no discurso da...
Estatisticas de funcionários nas autarquias a níve...
pesquisar neste blog
 
links
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links