Azáfama; grande atividade; agitação; rebuliço.

16
Out 11

 

Tendo a questão do 1º Relvado sido falada durante a campanha eleitoral autárquica, trago-a novamente à actualidade dado o desvio dos jogos de futebol do Sporting Clube de Viana para Alvito. Sendo esta uma decisão, que não discutirei aqui e agora, vejo nela uma tentativa de culpabilização da anterior vereação – pelo não arrelvamento – e uma chantagem sobre a actual vereação da Câmara Municipal – forçando o arrelvamento. É um golpe de asa a que já estamos habituados, próprio do caciquismo futeboleiro, do nosso associativismo.

 

Li com atenção as explicações sobre o assunto com o titulo “Mentir/Omitir ou um hábito que enraizou! Até quando?” no Blogue do Estevão. Respeito as explicações dadas mas não emitirei qualquer juízo de valor, ao contrário do autor, que julgando-se detentor da verdade absoluta, classifica as opiniões dadas por outros.

 

A verdade nua e crua a que ninguém pode fugir, é só uma:

Entre os 308 concelhos, apenas 3 não possuem relvado, sendo o nosso um deles

 

Isto é apenas o efeito de muitas causas remotas. Aponto duas, por serem as mais importantes e, servirem de ponte entre todas elas:

- política de 16 anos, da Câmara Municipal, onde desprezaram uns e promoveram outros, não olhando a competências mas só a interesses partidários

- política desportiva propícia a golpadas de toda a ordem, contribuindo-se assim para o descrédito das associações, junto da população com o  afastamento desta.

 

Tudo isto deu como resultado a ausência de agentes credíveis para interlocutores válidos da Câmara Municipal num processo, que aqui em Viana do Alentejo todos sabemos estar inquinado.

Quem semeia ventos, colhe tempestades!..

O anterior Presidente da Câmara Municipal, teve obviamente responsabilidades nisto tudo pelo que não poderá sacudir a água do capote.

 

       José de Viana

 

Enviado por jvsapo@sapo.pt para divulgação em polvorosa@sapo.pt

publicado por polvorosa às 14:43

Deixem me desabafar:
Estevão tem culpa? Sim. Muita!!
Ignorou este tipo de investimento e prol de outros (piscina por exemplo), é um facto, mas depois quando quis, não o deixaram e isso foi internamente na câmara. Será uma pedra do sapato dele, juntando mais algumas…
Mas… agora o que se pode fazer? Se houve interesse, reuniões com os visados e promessas escritas, porque não se faz? Desculpas com a crise? Então se as piscinas não eram financiadas pelo governo na era Estevão, com este presidente receberam um “extra” de 1 milhão de euros pela obra, ora não há dinheiro? Possas, é uma vergonha o que se passa, o meu filho joga no Viana e por amor de deus, onde vamos todos tem condições.
Dou um exemplo onde este elenco vai buscar muitas ideias, Portel, num pacote compraram 2 relvados ao preço aproximadamente de 150 mil euros, e assim vão arrelvar este ano, já com a obra em curso, oriola e pró ano Outeiro!!!! E nós Viana, Alcáçovas?
Deixo uma sugestão, se abdicassem de algum cargo, num mandato pagava-se um campo (120 mil euros, 4 anos), outro cargo (mesmo valor) e assim tínhamos 2 campos no nosso conselho. Vocês sabem de quem falo.
Falam em prioridades, noutras obras, mas certo é que o conselho neste assunto está na cauda. Infelizmente…
Eu deixo bem claro, votei neste movimento por acreditar nesta e outras propostas, mas nestes dois anos tenho visto coisas no qual não me identifico.
Vianense a 16 de Outubro de 2011 às 22:37

Como mãe deixem-me também desabafar:

Ao contrário da anterior mãe eu não votei no Sr. Bengalinha, votei no Sr. Brito e Silva e sei que o “extra” de 1 milhão de euros que a Câmara recebeu pela obra das piscinas de Alcáçovas, deu muito trabalho ao actual presidente o encaixe desse dinheiro nos cofres da autarquia.

Não concordo que se gaste o dinheiro ao desbarato, pois se a Câmara não tivesse arrecadado essa verba estaria neste momento num situação difícil para executar as obras em andamento. Prefiro por exemplo ter uma escola nova onde a minha filha possa aprender, num local com todas as condições, do que ver desbaratar tanto dinheiro, em três relvados, um por cada freguesia, somando os três a módica quantia de 450 000 €.

A solução de poupança proposto pela anterior mãe, passando pela redução das despesas com pessoal, como sabe, não é fácil fazer abdicar dos cargos alguns trabalhadores que estão na Câmara sem fazer nada. Um já se foi embora no final do contrato que terminou em Agosto, mas como é que o Sr. Bengalinha despede aquela senhora e aquele senhor, este último trabalhador encostado desde 2008 pelo Estêvão.

Vocês sabem de quem falo.

Concordo que se poupava muito dinheiro se essas pessoas “abdicassem”, a alternativa seria despedi-los, mas não é fácil desempregar funcionários públicos, mesmo aqueles que nada fazem.

A senhora fala da facilidade com que vão arrelvando os campos de futebol do concelho de Portel, mas Portel tem os esgotos, as estradas e as ruas arranjadas e agora já se pode dar ao “luxo” de relvar os campos de futebol com alguns “extras” que caem do céu.

Outra questão que devemos questionar. Qual seria o papel dos clubes no financiamento dos relvados? A Câmara entra com todo o dinheiro?

Os clubes de futebol gastam a maior parte do dinheiro nos prémios/salários dos seniores, a maioria desses jogadores nem residem no concelho, então se têm dinheiro para pagar a jogadores, porque não reduzem essas despesas para relvarem os seus campos?

Mesmo que a Câmara ajudasse nas despesas desses arrelvamentos, quanto pagariam os clubes?

O seu filho joga no Viana, num campo de terra, naturalmente seria melhor jogar num relvado, mas da mesma forma que os seniores do Viana jogam no relvado do campo de Alvito, talvez pudessem ser criadas condições para que o seu filho também lá pudesse jogar.

Veja bem, a minha filha para praticar natação, fora do período do Verão, tem de se deslocar 20 km até Alcáçovas, distância muito inferior aos 8 km que dista Alvito.

Eu deixo bem claro, ao contrário da senhora eu não votei no Bengalinha por não acreditar nas suas propostas, mas nestes dois anos tenho visto coisas com as quais me identifico.
Anónimo a 17 de Outubro de 2011 às 21:12

Correio electrónico:
polvorosa@sapo.pt
comentários recentes
Deslize ou talvez não a despedida não é inédita. "...
"De lembrar que no contexto mais difícil desde que...
Respeito o seu comentário, mas eu cá acho que foi ...
Achei descabido a alusão a Eusebio no discurso da...
Estatisticas de funcionários nas autarquias a níve...
pesquisar neste blog
 
links
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links