Azáfama; grande atividade; agitação; rebuliço.

18
Out 11

Como mãe deixem-me também desabafar:

Ao contrário da anterior mãe eu não votei no Sr. Bengalinha, votei no Sr. Brito e Silva e sei que o “extra” de 1 milhão de euros que a Câmara recebeu pela obra das piscinas de Alcáçovas, deu muito trabalho ao actual presidente o encaixe desse dinheiro nos cofres da autarquia.

Não concordo que se gaste o dinheiro ao desbarato, pois se a Câmara não tivesse arrecadado essa verba estaria neste momento num situação difícil para executar as obras em andamento. Prefiro por exemplo ter uma escola nova onde a minha filha possa aprender, num local com todas as condições, do que ver desbaratar tanto dinheiro, em três relvados, um por cada freguesia, somando os três a módica quantia de 450 000 €.

A solução de poupança proposto pela anterior mãe, passando pela redução das despesas com pessoal, como sabe, não é fácil fazer abdicar dos cargos alguns trabalhadores que estão na Câmara sem fazer nada. Um já se foi embora no final do contrato que terminou em Agosto, mas como é que o Sr. Bengalinha despede aquela senhora e aquele senhor, este último trabalhador encostado desde 2008 pelo Estêvão.

Vocês sabem de quem falo.

Concordo que se poupava muito dinheiro se essas pessoas “abdicassem”, a alternativa seria despedi-los, mas não é fácil desempregar funcionários públicos, mesmo aqueles que nada fazem.

A senhora fala da facilidade com que vão arrelvando os campos de futebol do concelho de Portel, mas Portel tem os esgotos, as estradas e as ruas arranjadas e agora já se pode dar ao “luxo” de relvar os campos de futebol com alguns “extras” que caem do céu.

Outra questão que devemos questionar. Qual seria o papel dos clubes no financiamento dos relvados? A Câmara entra com todo o dinheiro?

Os clubes de futebol gastam a maior parte do dinheiro nos prémios/salários dos seniores, a maioria desses jogadores nem residem no concelho, então se têm dinheiro para pagar a jogadores, porque não reduzem essas despesas para relvarem os seus campos?

Mesmo que a Câmara ajudasse nas despesas desses arrelvamentos, quanto pagariam os clubes?

O seu filho joga no Viana, num campo de terra, naturalmente seria melhor jogar num relvado, mas da mesma forma que os seniores do Viana jogam no relvado do campo de Alvito, talvez pudessem ser criadas condições para que o seu filho também lá pudesse jogar.

Veja bem, a minha filha para praticar natação, fora do período do Verão, tem de se deslocar 20 km até Alcáçovas, distância muito inferior aos 8 km que dista Alvito.

Eu deixo bem claro, ao contrário da senhora eu não votei no Bengalinha por não acreditar nas suas propostas, mas nestes dois anos tenho visto coisas com as quais me identifico.

 

Comentário efectuado aqui.

publicado por polvorosa às 08:11
tags:

02
Jun 09
"Há que destinguir entre "graffitis" de "graffitis": Existem autênticas obras de arte que preenchem espaços vazios e monótonos, como paredes, tapumes, painéis, etc... que embelezam esses locais e que são ao mesmo tempo formas de afirmação; dos verdadeiros "abortos", fruto de mentes atormentadas por psicotrópicos que conspurcam as paredes de edifícios, monumentos, habitações, vedações, viadutos, comboios, barcos, sinais de trânsito, tabuletas informativas e em qualquer sítio onde consigam colocar o seu "sinal" como um qualquer animal a demarcar o seu território para ser reconhecido pelas fêmeas. Melhor seria que não gastassem tempo e dinheiro a sujar aquilo que nem sequer foram capazes de ajudar a fazer... Deus lhes perdoe a estupidez!"
 
Este comentário foi efectuado pelo Zé da Burra o Alentejano a 1 de Junho de 2009 às 14:55 a este post
publicado por polvorosa às 09:34
tags:

Contador
Correio electrónico:
polvorosa@sapo.pt
comentários recentes
Deslize ou talvez não a despedida não é inédita. "...
"De lembrar que no contexto mais difícil desde que...
Respeito o seu comentário, mas eu cá acho que foi ...
Achei descabido a alusão a Eusebio no discurso da...
Estatisticas de funcionários nas autarquias a níve...
pesquisar neste blog
 
links