Azáfama; grande atividade; agitação; rebuliço.

10
Fev 09

 

Louçã teve na Convenção deste fim-de-semana um palco óptimo. Foi buscar Darwin para trazer para pano de discussão a questão da aprendizagem. Os tempos actuais de crise financeira; de desemprego; dificuldades económicas; especuladores-corruptos-políticos a braços com a justiça; a facção oposicionista dentro do PS personificada em Alegre, tudo isto favorece o B.E.

Nunca como agora a realidade deu tanta razão a este partido formado à 10 anos. Está a subir nas sondagens, capta eleitorado nas cidades, agrega muitos jovens, entra facilmente nas Universidades, um conjunto de sinais perspectivam um futuro interessante.

 

Principais dificuldades, na sua génese está um carácter de oposição, criticar o sistema político e os seus actores, mas será que quer vir a governar e assumir responsabilidades? Essa é a grande questão porque no interior existe duas facções: uma claramente de ruptura que pretende continuar a dizer mal e a criticar o edifício político e administrativo vigente actuamente; a outra, intenta exercer poder e ser alternativa credível numa solução de governo.

O B.E. não é só um partido político, são vários, e essa é ao mesmo tempo a sua riqueza e a sua ameaça.

publicado por polvorosa às 14:41

BE é o partido mais próximo do stand-up comedy real !!
Abraços
Anónimo a 13 de Fevereiro de 2009 às 11:40

O que acontece com a oposição feita por parte do BE acontece desde sempre com qualquer partido da oposição, é sempre mais fácil criticar o que o governo faz (ou não faz) do que eles próprios apresentarem alternativas (por que também não as tem). Em Portugal oposição passa apenas por ser feita propaganda anti governo e enquanto assim for nunca se sairá do mesmo sitio.

O BE tentou mudar isso, moldando o o partido de acordo com as vontades e anseios das pessoas, tentou criar uma miscelânea de ideias e ideais dentro do partido, mas se não tiverem um lider e uma força que mova e coordene todo o seio partidário nunca se conseguirá alcançar uma harmonia.

De facto o BE tem subido na popularidade, mas enquanto partido, não sei se será tanto um espelho de quem está à frente e parece-me que cada vez mais começam (e devem) emergir pessoas dentro do partido que até agora estavam na sombra.
André a 13 de Fevereiro de 2009 às 14:12

Contador
Correio electrónico:
polvorosa@sapo.pt
comentários recentes
Deslize ou talvez não a despedida não é inédita. "...
"De lembrar que no contexto mais difícil desde que...
Respeito o seu comentário, mas eu cá acho que foi ...
Achei descabido a alusão a Eusebio no discurso da...
Estatisticas de funcionários nas autarquias a níve...
pesquisar neste blog
 
links
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links