Azáfama; grande atividade; agitação; rebuliço.

03
Nov 08

 

 

Infelizmente em Viana do Alentejo as notícias não são nada positivas. 

 

Em resultado de um acidente numa passagem de nível ferroviária sem vigilância, registou-se uma vítima a lamentar. Quando acabam estes perigos reais para pessoas e bens, estamos fartos de ouvir falar nisso e nada, quem são os responsáveis?

 
A autarquia com fins eleitoralistas vai endividar-se brutalmente e atingir o limite máximo de endividamento. Aproveita todas as oportunidades para fazer mais populismo e despesa para as gerações vindouras pagar. Quem vier a seguir que feche a porta. 
 
Foi publicada uma carta anónima num blogue concelhio a informar sobre um favorecimento num concurso público a levar a cabo pela autarquia local. Esta desconfiança diminui a credibilidade na equipa autárquica e aumenta o afastamento dos cidadãos da política local. A não resposta cabal a explicar esta situação vai manchar ainda mais a fraca imagem desta equipa autárquica. 
 
As crianças do 1.º ciclo do ensino básico de Aguiar um mês e meio depois do início das aulas continuam sem actividades extracurriculares. Esta situação é péssima para as crianças, para as respectivas famílias e até para os empregadores daquelas.
Enquanto responsável pelo Conselho Municipal de Educação, é esta a igualdade de oportunidades que se quer para o concelho?
 
Foi divulgado o ranking das escolas secundárias. O cálculo leva em conta a média dos exames nacionais de todas as diciplinas. A Escola EB23/S Dr. Isidoro de Sousa de Viana do Alentejo é a pior escola do distrito de Évora; a nível nacional entre 605 escolas aparece em 601. A média das notas foi 79,47 numa escala entre 0 e 200,00.  
Estes resultados são péssimos. Será que devemos deitar o edifício escolar abaixo e construir uma melhor? Os professores são assim tão maus? Os alunos não estudam nada? As aulas não servem para aprender? O que fazer? Mais importante do que arranjar culpados ou desculpas, o essencial desta questão é juntar os alunos, os professores, pais, os funcionários, comunidade local, especialistas e compreender a causa deste descalabro. A Câmara Municipal como responsável do Conselho Municipal de Educação tem aqui um teste decisivo para vermos se consegue dialogar com os agentes e actores do sistema educativos. Como sabemos o sucesso de desenvolvimento de um território passa pelos níveis de educação e escolarização da sua população. Mais palavras para quê.   
 
As obras na estrada EN 380 entre Alcáçovas e Viana do Alentejo feitas pelas Estradas de Portugal, não se ouve uma palavra dos eleitos locais, essa atitude de silêncio não tranquiliza a população nem dá credibilidade à autarquia local, a população sente que esta é altamente impotente e não faz tudo o que está ao seu alcance.
 
Enfim, como dá para concluir, neste concelho de "todo o sol do Alentejo" as coisas vão acontecendo de uma forma mais ou menos dramática, com mais ou menos vítimas, os chamados "danos colaterais" de uma política de afastar responsabilidades do tipo a sacudir a água do capote.
Os cidadãos não recebem feedback dos eleitos, não lhe é dada informação pertinente, os eleitos não assumem as suas responsabilidades com os cidadãos e mostram o seu pior lado quando alguém critica as suas "vacas sagradas".
publicado por polvorosa às 17:22

A pouco e pouco o autor deste blog vai mostrando a sua verdadeira face e a forma de encarar a realidade. Este texto é pernicioso pelo que insinua e pela forma mentirosa como tenta remeter responsabilidades das coisas para quem as não tem. Para informar é preciso dar muita mais informação do que as mentiras estruturadas que aqui são transcritas contêm.
Vejamos :
- Acidente ferroviário que fica no ar como responsabilidade de quêm? Da Câmara? È sempre para ai que as coisas são remetidas. È FALSO. A unica entidade que deve garantir a segurança das passagens de nivel é a REFER. Tem em execução cerca de 200 actualmente no País. Veja aqui ao lado em Vila Nova da Baronia. Informe-se e verá que é MENTIRA o que insinua.
-A Autarquia vai endividar-se brutalmente e atingir o limite máximo da capacidade de endividamento. È FALSO. Veja as duas ultimas contas de gerência e assuma que não tem razão. Estude a Lei das Finanças Locais e assuma que é MENTIRA o que afirma.
- Carta anónima que diminui a credibilidade da equipa autarquica??? Anónima!! Se amanhã sair uma carta anónima a dizer que o autor deste blog á afinal um neo-nazi de extrema direita isso vai afectar a sua credibilidade? Perante quêm? Perante quem o conhece? Ou será perante quem não o conhece? Ou será que não mina coisa nenhuma e apenas serve para alimentar textos venenosos como o seu?
-Actividades de enriquecimento curricular e Rankings escolares- misturar estes dois temas já é uma visão "distorcida", mas remetê-los para o Conselho Municipal de Educação é produto de uma mente perturbada e com traços de obseção. O conselho local de educação (antigo) ainda tinha regras democraticas de funcionamento e assegurava alguma capacidade de intervenção. Hoje, os Conselhos Municipais de educação não têm capacidade de intervir e na lógica de "pensar" a educação, o governo ao criar o novo Director da Escola, com o perfil que lhe traça, faz tábua raza da democracia e das opiniões dos diversos agentes e actores locais. Não sabe que isso é assim? Ou será que não quer saber?
- A obra na EN 380- Os eleitos da Câmara e da Junta de Freguesia estiveram na linha da frente com o seu povo. O povo que lá esteve sabe isso. O "POVO" que este blog supostamente representa não sabe isso porque não esteve lá nem nunca está onde o povo precisa dele.

Enfim, como dá para concluir, sempre que são formuladas perguntas aos eleitos dos vários orgãos autarquicos no Concelho de Viana as suas respostas são obtidas, como o povo muito bem sabe, reconhece e aprecia.
Sempre que um conjunto de "anónimos" se lembra de debitar "um conjunto estruturado de parvoices em formato electrónico" e pretende transformar isso numa verdade, naturalmente só pode fazer figura de algo que certamente não estaria no seu espirito, quando inicialmente começou a escrever.

"ANÒNIMO CONVICTO"
Anónimo a 4 de Novembro de 2008 às 22:33

Ventos Sinópticos

Diz o adágio popular: “De Espanha nem bom vento nem bom casamento”; “O vento de Castelo Branco é tão mau que até os cães faz danar”; etc.

Desde há muito tempo que da rua Brito Camacho, sede do poder local, sopra exclusivamente vento Suão, quente no Verão e frio no Inverno.
Este vento no Verão torna-se extremamente quente, pode transportar milhões de toneladas de poeiras, provocando uma bruma seca, queimando tudo à sua passagem.
Por outro lado, no Inverno, o ar frio e seco gera geada, com repercussões nocivas em todo o concelho.
Perante este fenómeno político/meteorológico preferimos o ar temperado e húmido proveniente do Oceano Atlântico, mais puro e de efeito profilático para todo o ecossistema.
Segundo algumas previsões meteorológicas este ar temperado e respirável pode passar a dominante no final de 2009. Estas antevisões a tão longo prazo não são fiáveis, por isso vamos aguardar com serenidade o desenrolar dos acontecimentos.
Para não soprar a desejada brisa marítima, este desgoverno autárquico envolto em cimento e com as narinas entupidas, acompanhado por serventes de pele suave e luvas finas, carregam de cada vez meio balde de massa para ajudar nas obras anunciadas.
Com tanto cansaço, língua de fora, feridas nas mãos ainda não calejadas por trabalho árduo e penoso, chegam ao fim-de-semana exaustos para a propaganda eleitoral junto dos reformados, associações culturais e grupos câmara/dependentes. Nesta azáfama em final de mandato, com medo de perderem os lugares que sempre pensaram serem eternos, assolados aqui ou ali por uma alguma comunicação social (blogues) e cidadãos atentos, não sabem como reagir perante os factos descritos neste texto.
Decerto que os actores desta tragédia já leram o texto, deglutiram em seco e devem ter comentado entre eles: não tarda nada, mais um que tem que vai levar com o Caixote em cima, de Tal não se vai escapar.
Quanto à posição no ranking nacional, obtida pela Escola EB23/S Dr. Isidoro de Sousa de Viana do Alentejo, só nos pode entristecer.
Sugiro aos professores "laissez faire, laissez passer", a leccionar nesta Escola que mobilizem para a próxima manifestação, contra o sistema educativo, os restantes responsáveis locais inseridos neste processo – cada Escola um autocarro.
No desfile, bem à frente da “manif”, todos de luto por um ano e de mãos dadas, para nós vermos em casa nos telejornais, levantem bem alto uma faixa com o n.º 601.

Miguel Saloio
Anónimo a 5 de Novembro de 2008 às 00:54

isto devia ir para os malucos do riso, porque da realmente muita graça, tudo o que acontece no nosso concelho é simplesmente culpa da câmara municipal e do Estevão, até o insucesso escolar.
com franqueza o tempo que perdem na internet, nomeadamente nos blogs, se o perdessem a ajudar os vossos filhos a estudar e a darem-lhem mais atenção e principalmente educação, certamente no final da ano lectivo obtinham muito melhores resultados.
mas assim é mais facil, brincamos na net, vamos até ao café entretemos a dizer mal de uns e outros e os professores que se desenmerdem, eles é que são pagos para os ensinar.
no final do ano atribui-se as culpas ao professor e ao conselho de educação á escola a qualquer pessoa menos ao aluno, que se andou um ano inteiro a pavonear, sem fazer ponta de corno.
anonimo mas pouco a 5 de Novembro de 2008 às 17:48

Realmente meu caro quando vi a tua filha não a achei parecida contigo, depois de ver este post percebo o teu azedume.. ninguém depois de ser pai ou mãe anda tão mal com a vida, bem pelo contrário. Então a culpa de alguém que tem o azar de parar o carro avariado em cima da linha do comboio e é vitima disso mesmo é da Câmara??? e o ranking promovido pelo ministério da educação bem como o posicionamento da EB2 /3 também é da Câmara?? e já agora a falta de empenho por parte do governo em construir escolas do século XXI e a vontade de maltratar os alunos e professores também é da Câmara? Até se podia fazer um conselho Municipal de Educação diariamente e nada mudaria, porque este governo composto de gente mentecapta não perceberia as dificuldades como não percebe. O prolongamento do 1º ciclo de Aguiar é da responsabilidade do Ministério de Educação!!! e quanto aos concursos não tentem condicionar porque há pessoas inocentes a pagar maldades de pessoas incompetentes e que não deixaram saudades por onde passaram e teimam em querer intimidar porque se julgam donas de lugares. Essa gente supostamente ANÓNIMA tem nome e fez anunciar a maldade da carta supostamente anónima. Por isso meu caro goze os prazeres da paternidade, olhe com ternura para esse ser que precisa de si e construa um mundo melhor onde essa criança poderá ter semelhantes justos.
Margarida da Praça
Anónimo a 5 de Novembro de 2008 às 21:14

Car@s,

Alguns destes comentários vêm dar total razão ao supra-mencionado. Só mesmo alguém completamente desatento não percebe o mal-estar vigente neste nosso concelho, bem como a degradação no diálogo entre entidades competentes, públicas e privadas.

Este post veio chamar a atenção dos leitores para a desconfiança entre os cidadãos e os eleitos, porquê? Coloca a nu a dificuldade dos eleitos (não é só a nível local que isto acontece) de manterem uma atitude pro-activa de cooperação com outros organismos ou organizações, sejam públicos ou privados, neste caso fica evidente a incapacidade dos eleitos manterem uma parceria estratégica com as Escolas para diagnosticarem os problemas e causas para em seguida elaborarem em conjunto uma estratégia de combate aos problemas através de medidas e metas concretas, seguidas de um sistema de monitorização e avaliação. Mas não, admiravelmente assistimos a uma política de apontar o dedo para os outros e depois são sempre os outros que estão mal, a autarquia nunca erra! Isto aplica-se à educação, à saúde, ao emprego, às políticas sociais, às obras e transportes, etc.

Depois a culpa é da Refer, as Estradas de Portugal, do Centro de Saúde, da Escola Isidoro de Sousa, o Ministério de Educação e até o Director de Escola (que acho que ainda nem existe)!! Aqui está o cerne da questão e demonstra que alguns não compreenderam nada do que foi escrito porque estão obsecados. Fala-se na Câmara não porque seja directamente o responsável pelas coisas negativas que acontecem mas porque não transmite aos cidadãos as decisões e os procedimentos administrativos que devia dar informação. Sente-se uma dificuldade incompreensível no trabalho em parceria por intermédio de uma co-responsabilização entre os vários agentes onde se inclui inevitavelmente a Câmara pelo fundamental papel que deveria ter.

Como é claro, pessoas tal como eu sentimos uma fragilidade muito grande porque temos a percepção que esta postura da Câmara em tentar "passar entre os pingos da chuva" não é benéfica para o desenvolvimento e para o bem-estar dos cidadãos que gostam de pensar pela sua cabeça e detestam actos de pavoneamento político e propaganda barata que nos custa muito dinheiro enquanto contribuintes.
De uma forma simples, a questão central é sabermos se podemos confiar nos eleitos, por exemplo, o que foi feito junto da REFER para evitar aquelas situações trágicas? Junto das Escolas e no seguimento da Carta Educativa o que está/vai ser feito para combater o descalabro? O que foi feito junto da DREA para fazer actividades extracurriculares no 1.º ciclo em Aguiar? Qual a explicação para eventuais problemas ou não em concursos públicos? E a lista poder-se-ia alongar, mas no fundo para dizer que a informação da Câmara não está a passar e são coisas demasiado importantes para se fazer tábua rasa, os cidadãos têm o direito e a necessidade de explicações, ou não?

Portanto, a meu ver, noto nos eleitos locais da CDU uma incapacidade para manter um diálogo eficaz, a dificuldade em transmitir informação, a assumpção de responsabilidades e ter uma visão estratégica para o futuro para as pessoas e para o território, onde as organizações do território sejam parte da solução e não parte do problema, seja na educação, na saúde, nas estradas, etc.

Por fim, alguns comentários aburdos não me dizem absolutamente nada, a não ser darem-me razão num ponto, não deviam vir para aqui lavar roupa chuva, se fossem mais responsáveis, esses pseudo-comentadores usavam a energia para uma atitude mais construtiva, talvez construíndo um blogue adequado. No fundo é isso que se pede às pessoas ligadas à CDU com responsabilidades políticas em Viana, tentar manter uma postura séria, não ser mal educado, tentar construir uma forma digna de fazer política, debate e alguma honestidade intelectual se possível, podia ser um bom contributo para evitar que a culpa morresse solteira.

Para ler mais sobre a Lei de Finanças Locais, Obras Públicas e Viana do Alentejo sugiro http://polvorosa.blogs.sapo.pt/34764.html#comentarios

Cumprimentos.
polvorosa a 5 de Novembro de 2008 às 23:18

Bom dia,

Eu nem era para comentar esta notícia, parecia-me um post tão óbvio e tão claro, que a sua mensagem seria facilmente entendida por todos.
Porém, vi aqui tanto nervosismo de quem está agarrado ao poder aliado a uma nítida limitação intelectual e moral, que não poderia deixar de expressar aqui "um conjunto estruturado de parvoíces em formato electrónico" (tanto nervosismo).

Ninguém responsabilizou a Câmara pelos acontecimentos relatados no post , responsabilizou-a pela inércia demonstrada perante tais acontecimentos, que são coisas completamente distintas.
Será assim tão difícil perceber isto? E o burro sou eu…?!
É alguma ofensa os contribuintes quererem uma versão da Câmara de tais acontecimentos? Pegando no ranking das escolas, a escola de Viana ocupa a última posição do distrito e a câmara não se acha no dever de apurar responsabilidades? Até se pode concluir que a culpa é dos alunos, mas que se conclua depois de se estudar o problema. Mas claro é mais fácil sacudir a água para cima do Ministério.

Então se a Câmara não é responsável por nada, há sempre outras entidades que o são, e perante estas não conseguem (ou não querem) valer a sua posição, então que fazem aí?
Fechem a porta da Câmara e saiam, pelos vossos argumentos nem precisa ir para aí mais nenhum partido, uma vez que o concelho é governado única e exclusivamente por Lisboa. Poupem-nos esses €€.

Neste post o que vos foi pedido foi esclarecimentos, diálogo, informação...

Quem não deve não teme, e quem não teme defende-se com a verdade, mas quando não há ideias, quando há incompetência a forma que arranjam de se defenderem é baixar o nível, passar para o ataque pessoal, a calúnia. Eu também ficaria nervoso se fosse incompetente e um dia visse o meu tacho posto em risco, pensaria mas para onde vou eu agora? Que pouco ou nada sei fazer…

Agora aprendam com o/a autor/a deste blog, reparem como perante as provocações pessoais não desce ao vosso nível e mantém sempre a postura, a elegância de uma pessoa séria, que faz deste espaço um espaço de informação e debate pautado pelos bons costumes.

P.S.:Tenha calma Margarida da Praça, o que a revolta tanto? Traz tanta mágoa consigo! A forma como inicia o seu comentário parece o sentimento de alguém que cresceu sabendo que era filha/o de uma antiga nota de 5.000$.
E o burro sou eu... a 6 de Novembro de 2008 às 11:25

Caro Polvorosa;
Resolvi dar-te um premio especial, como especiais costumam ser os teus posts, aos quais dedico especial atenção. Este post em particular do qual podemos retirar algumas verdades, veio pecar pela falta de consistência de algumas afirmações. É verdade que a CMVA enquanto órgão deve zelar pela segurança, pela educação e pelo bem-estar dos seus eleitores e cidadãos. É verdade que ouve um acidente numa passagem de nível, é lamentável que continuem a acontecer acidentes deste tipo, tal como é lamentável que a “Refer” em conjunto com a “EP” não acautele estas situações de risco que ainda resistem neste pais, não tenho dúvidas que se a CMVA tivesse vindo a alertar estas entidades no sentido da resolução do problema este acidente não tivesse acontecido, tal como não tenho provas de que isso não tenha acontecido. Foi bom teres levantado esta questão, mais que não seja para poder constar no boletim eleitoral para 2009 de um qualquer partido do feudo.
Em relação às actividades extracurriculares já tiveram inicio, bem sei que deveriam ter tido inicio de acordo com o que está estipulado na lei, por isso me bati, tal como a/o polvorosa, no entanto a CMVA esteve atenta, sendo neste caso a responsabilidade do Agrupamento de Escolas de Viana do Alentejo. Bem sei que se houvesse um dossier chamado EDUCAÇÃO na CMVA que interagisse com os restantes órgãos atempadamente em prol da população escolar e dos pais estas questões não se punham.
Em relação ao ranking das escolas tenho a dizer-te o seguinte. Existe uma direcção escolar e um corpo docente, esta direcção não é eleita por decreto da CMVA, é um órgão independente e com responsabilidades próprias, a CMVA ajuda no que pode, o problema aqui é que pode pouco no meu ver. O parque escolar está de rastos, é uma pena ver concelhos vizinhos com escolas novas e aqui continua tudo cada vez pior. Sei que tem havido diligências para a construção de uma nova escola que albergue todo o sistema de ensino, no entanto o tempo passa e nada acontece.
As obras na EN 380 estão a ser feitas agora resta esperar é assim em todo o lado.
Sei que nos é infinitamente difícil ver o tempo a passar e os problemas de á 3 anos continuarem a ser os mesmos, as grandes questões estão cada vez mais longe de ser resolvidas. O envolvimento e a acção da CMVA é neste momento muito restrito, pouco aberto á população e com muito pouca informação.
Eu também quero mais e melhor.
peixebanana a 6 de Novembro de 2008 às 13:12

Caro peixe banana,
Obrigado pela distinção.
:-)
polvorosa a 7 de Novembro de 2008 às 17:00

Contador
Correio electrónico:
polvorosa@sapo.pt
comentários recentes
Deslize ou talvez não a despedida não é inédita. "...
"De lembrar que no contexto mais difícil desde que...
Respeito o seu comentário, mas eu cá acho que foi ...
Achei descabido a alusão a Eusebio no discurso da...
Estatisticas de funcionários nas autarquias a níve...
pesquisar neste blog
 
links
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links