Azáfama; grande atividade; agitação; rebuliço.

11
Set 08

A Universidade de Verão 2008 do PSD já passou. Este partido continua elitista, agora já nem à festa do Pontal os dirigentes se dignam ir confraternizar com os seus simpatizantes e militantes.

Pese embora reconhecer alguma importância na formação de jovens para a política, gostaria de deixar claro que sou contra a profissionalização da política como querem fazem os jovens acreditar e fomentar desde cedo esse espírito neles. Podem chamar-me conservador, não me importo, mas no meu modo de ver as coisas, primeiro importa formar jovens para ser cidadãos, depois prepará-los para a vida profissional e só depois tornar essa gente correligionária partidariamente. Sinceramente não aprecio ver jovens sem experiência e sem competências profissional cuja escolha da profissão é ser... político.
Contacto com muitos jovens, ainda hoje grassa muito a ideia que para ser alguém importante neste país é necessário ter um cartão de um partido político, não faz sentido. Sou daqueles a acreditar no trabalho e no esforço para obter mérito e recompensa, sem sacrifício as coisas não aparecem, não aprecio o facilitismo nem o "nacional porreirismo", as pessoas só devem chegar lá se forem capazes e trabalharem para isso. Passar a mensagem de esperteza saloia e matreirice, é a "má moeda contra a boa moeda" para fazer aqui uma analogia.     
As juventudes partidárias têm a sua relativa importância, mas serão elas representativas da sociedade civil? Elas têm jovens ciganos, imigrantes, sem-abrigos, portadores de deficiência como doença mental, toxicodependentes, pessoas infectadas com Sida, prostitutas? Poucos ou nenhuns representantes destes encontramos e até pessoas do sexo feminino são poucas nestas estruturas partidárias. As iniciativas dos partidos políticos para mobilizar os jovens são positivas, ainda mais se envolverem ideias e necessidade de utilização do cérebro, mas sou contra a instrumentalização da imagem para arrecadar mais alguns votos. Cada vez conta mais a imagem em detrimento do pensamento e das ideias, o essencial em vez do acessório, não é pois de estranhar a abundância dos "spin off" e o desaparecimento de cena dos verdadeiros políticos.  
publicado por polvorosa às 22:29
tags:

Felicito-o pela capacidade de análise. Nem sempre tenho a mesma opinião mas gosto de ler os seus textos e opiniões. Como outros já referiram, é importante sair do anonimato (se for do seu interesse) porque é uma pessoa com ideias e pode dar um forte contributo para o desenvolvimento do concelho. Tal como outros bloguistas do concelho, tem trazido á discussão uma série de temas muito importantes.
Cumprimentos
António Costa da Silva
alcacovas a 12 de Setembro de 2008 às 21:48

Caro amigo, agradeço o incentivo.
Um abraço e desejo-lhe continuação de bom trabalho.
polvorosa a 13 de Setembro de 2008 às 13:44

Contador
Correio electrónico:
polvorosa@sapo.pt
comentários recentes
Deslize ou talvez não a despedida não é inédita. "...
"De lembrar que no contexto mais difícil desde que...
Respeito o seu comentário, mas eu cá acho que foi ...
Achei descabido a alusão a Eusebio no discurso da...
Estatisticas de funcionários nas autarquias a níve...
pesquisar neste blog
 
links