Azáfama; grande atividade; agitação; rebuliço.

30
Nov 11

“Música para Todos" * Sexta-feira, 2 de Dezembro * 19:00 Horas 

 

 

Projecto: "Saber dos Sons"

Produção: Câmara Municipal de Viana do Alentejo

Colaboração: Maestro Christopher Bochmann

 


“Capitão América: O Primeiro Vingador" *Sexta-feira, 2 de Dezembro * 21:30 Horas 

 

 

Ano: 2011
País:
EUA
Género:
Acção, Aventura, Ficção Científica
Duração:
124 min.
Classificação:
M/12
Realização:
Joe Johnston

Intérpretes: Chris Evans, Hugo Weaving, Natalie Dormer, Stanley Tucci, Tommy Lee Jones, Toby Jones, Sebastian Stan e Hayley Atwell.

 

Sinopse:

Steve Rogers (Chris Evans) apresenta-se como voluntário para participar num programa experimental, que acabará por torná-lo no Super Soldado conhecido como Capitão América. Agora, Rogers irá unir esforços com Bucky Barnes (Sebastian Stan) e Peggy Carter (Hayley Atwell) para entrar em guerra contra a organização maléfica HYDRA, liderada pelo vilão Caveira Vermelha (Hugo Weaving). 

 


“Animais Unidos Jamais Serão Vencidos" * Domingo, 4 de Dezembro* 16:00 Horas 

 


Ano: 2010
País: Alemanha
Género: Animação
Duração: 93 min.
Classificação: M/6
Realização: Reinhard Klooss, Holger Tappe

Vozes: Ana Bustorff, António Machado, Diana Chaves, José Raposo, Manuel Marques, Rui Unas, Victor de Sousa

 

Sinopse:

Os animais da savana são surpreendidos pelo atraso na chegada da água, e a seca ameaça a sua sobrevivência. Descobrem entretanto que isto se deve à construção de uma barragem que inclui uma estância turística de luxo e lhes corta o abastecimento natural de água.
Posto isto os animais decidem unir forças e repor a ordem natural das coisas, e fazer regressar a água à savana. Como líder do grupo surge um herói improvável, Toni, um destemido mas ao mesmo tempo desajeitado suricate que reúne e motiva todo o grupo para a “revolta” dos animais, a quem se juntam o seu fiel amigo Leonardo, uma espécie de leão “reformado” das suas naturais funções, que curiosamente é vegetariano, Gigi e Angela, uma parelha de “top model” versão girafa e hipopótamo.

publicado por polvorosa às 22:08
tags:

28
Nov 11

 

O Município de Viana do Alentejo e o Instituto de Segurança Social, I.P. assinaram um protocolo com vista à implementação do Programa Conforto Habitacional para Pessoas Idosas (PCHI).

Este programa visa a prevenção da dependência e institucionalização dos cidadãos mais idosos, intervindo na qualificação habitacional através do melhoramento das condições básicas de habitabilidade e mobilidade das pessoas idosas que usufruam dos serviços de Apoio Domiciliário ou frequentem um Centro de Dia, ou cuja prestação destes serviços esteja dependente da qualificação habitacional.

A intervenção assenta em dois níveis: edifício (melhoramento da cobertura, paredes, caixilharia de portas e janelas; criação ou adaptação de espaços; melhoramento de espaços já existentes ou ainda adaptações que facilitem o acesso à habitação) e equipamento (compra de mobiliário e electrodomésticos).

O Programa Conforto Habitacional para Pessoas Idosas é financiado por verbas resultantes da exploração dos jogos sociais e atribuído a cada Município de acordo com o número de melhorias a efectuar.

Podem beneficiar do PCHI pessoas com 65 anos ou mais cujo rendimento mensal per capita seja igual ou inferior ao valor do indexante dos apoios sociais desde que vivam em habitação própria ou residam numa habitação há pelo menos 15 anos de forma permanente, usufruam de serviços de apoio domiciliário, frequentem a resposta Centro de Dia, residam sozinhas ou ainda, a título excepcional, pessoas que não usufruam de apoio domiciliário, mediante despacho do director do Centro Distrital de Segurança Social da área de residência.

A sinalização de pessoas com necessidade de qualificação habitacional pode ser efectuada pelo Município, Juntas de Freguesia, Centro Distrital ou por IPSS ou equiparadas com utentes de Centro de Dia e Serviço Domiciliário.

O período para candidaturas dos munícipes que reúnam as condições, vai estar aberto entre 28 de Novembro e 16 de Dezembro. Para obter mais informações sobre o Programa Conforto Habitacional para Pessoas Idosas ou aceder ao requerimento de candidatura em formato físico, contacte a Divisão de Desenvolvimento Social e Humano da Câmara Municipal.

publicado por polvorosa às 19:43

24
Nov 11
A agência de notação financeira cortou o "rating" de Portugal em um nível, colocando-o num patamar considerado "lixo". As perspectivas continuam a ser "negativas".

A agência de notação financeira cortou o “rating” de Portugal em um nível, colocando-o num patamar considerado “lixo”. As perspectivas continuam a ser “negativas”.

“A Fitch concluiu a sua revisão do quarto trimestre da dívida soberana de Portugal. Os grandes desequilíbrios orçamentais, o elevado endividamento em todos os sectores e as previsões macroeconómicas adversas significam que o perfil de crédito soberano já não é consistente com um ‘rating’ de elevada qualidade de investimento”, revela a agência de informação numa nota hoje publicada.

Assim, a Fitch decidiu colocar a notação financeira do País em “BB+” de “BBB-”. Uma descida de um nível, mas que coloca o “rating” de Portugal num patamar considerado de “lixo”, ou seja, de investimento especulativo.

O “outlook” foi mantido em “negativo”, o que significa que poderá haver nova revisão em baixa do “rating” da dívida. Contudo, a agência decidiu retirar o rating de “revisão com implicações negativas”, onde se encontrava desde Abril de 2011. O que significa que não deverão ocorrer novas revisões no curto prazo (três meses).

Assim, a Fitch decidiu colocar a notação financeira do País em “BB+” de “BBB-”. Uma descida de um nível, mas que coloca o “rating” de Portugal num patamar considerado de “lixo”, ou seja, de qualidade de investimento especulativa.

O “outlook” foi mantido em “negativo”, o que significa que poderá haver nova revisão do “rating” da dívida. Contudo, a agência decidiu retirar o rating de “revisão com implicações negativas”, onde se encontrava desde Abril de 2011. O que significa que não deverão ocorrer novas revisões no curto prazo (três meses).

A agência de notação financeira considera que o Orçamento do Estado para 2012 está “bem desenhado” e confia na capacidade de Portugal atingir as metas acordadas com a troika, mas estima que será necessária mais austeridade no próximo ano, devido à envolvente externa, não conseguir atingir as metas da troika.

A Fitch junta-se assim à Moody’s, que a 15 de Julho, colocou o “rating” de Portugal em “Ba2”, o que corresponde a um nível de “lixo”, mantendo igualmente a perspectiva “negativa”.

E no último mês têm sido várias as casas de investimento a reverem o “rating” de Portugal. Hoje foi a agência chinesa Dagong Global Credit Rating que cortou o "rating" da dívida portuguesa para "BB+", o que reflecte uma qualidade de investimento "média-baixa", com a notação a ficar sob vigilância de pendor negativo.

No dia 19 de Outubro, a agência canadiana DBRS também cortou o “rating” da dívida de longo prazo de Portugal, de ‘BBB (alto) para ‘BBB’. A descida da notação para um nível acima de lixo é justificada pela perspectiva de que os riscos da consolidação orçamental aumentaram. As perspectivas mantêm-se "negativas".

Também em Outubro, a S&P emitiu uma nota de análise, onde manteve a notação de crédito em “BBB-”, um patamar acima da categoria de “lixo”. Na altura, a S&P justificou a manutenção do “rating” com o compromisso demonstrado pelo Governo com o cumprimento das metas de redução do défice orçamental prometidas à comunidade internacional, no quadro do programa de assistência financeira de 78 mil milhões de euros.

 

Visto em Jornal de Negócios.

publicado por polvorosa às 13:57
tags:

“Música para Todos" * Sexta-feira, 25 de Novembro * 19:00 Horas 

 

 

Projecto: "Saber dos Sons"

Produção: Câmara Municipal de Viana do Alentejo

Colaboração: Maestro Christopher Bochmann

 


“Gomorra" *Sexta-feira, 25 de Novembro * 21:30 Horas 

 

 

 

Ano: 2008

País: Itália
Género: Crime, Drama

Duração: 137 min.
Classificação: M/16
Realização: Matteo Garrone

Intérpretes: Salvatore Abruzzese, Simone Sacchettino, Salvatore Ruocco 

 

Sinopse:

Poder, dinheiro e sangue: estes são os valores que os residentes de Nápoles e Caserta têm de enfrentar cada dia que passa. Quase nunca têm a possibilidade de decisão e quase sempre são obrigados a obedecer às regras do "sistema" de Camorra. Só alguns afortunados podem pensar em levar uma vida normal.

 


“A Melhor Despedida de Solteira" * Domingo, 27 de Novembro * 16:00 Horas 

 

 

Ano: 2011
País: EUA
Género: Comédia
Duração: 125 min.
Classificação: M/12
Realização: Paul Feig
Intérpretes: Kristen Wiig, Terry Crews, Jessica St. Clair, Rose Byrne

 

Sinopse:

A vida de Annie está uma desgraça. Mas quando descobre que a sua melhor amiga Lilian vai dar o nó, terá de cumprir o seu dever como dama de honor. Embora falida e mal de amores, Annie enreda por caros e bizarros rituais. Tendo apenas uma oportunidade para fazer um trabalho perfeito, vai mostrar a Lilian e às suas madrinhas até onde consegues ir por alguém que amas.

publicado por polvorosa às 13:41
tags:

23
Nov 11

 

Além de Mário Soares, assinam este manifesto Isabel Moreira (deputada independente do PS), Joana Amaral Dias (ex-dirigente do Bloco de Esquerda), José Medeiros Ferreira (ex-ministro dos Negócios Estrangeiros), Mário Ruivo (professor universitário), Pedro Adão e Silva (ex-dirigente do PS), Pedro Alves (líder da JS), Vasco Vieira de Almeida (advogado, ex-ministro socialista) e Vítor Ramalho (líder do PS/Setúbal).

 

UM NOVO RUMO

Este é o momento de mobilizar os cidadãos de esquerda que se revêem na justiça social e no aprofundamento democrático como forma de combater a crise.

Não podemos assistir impávidos à escalada da anarquia financeira internacional e ao desmantelamento dos estados que colocam em causa a sobrevivência da União Europeia.

A UE acordou tarde para a resolução da crise monetária, financeira e política em que está mergulhada. Porém, sem a resolução política dos problemas europeus, dificilmente Portugal e os outros Estados retomarão o caminho de progresso e coesão social. É preciso encontrar um novo paradigma para a UE.

As correntes trabalhistas, socialistas e sociais-democratas adeptas da 3ª via, bem como a democracia cristã, foram colonizadas na viragem do século pelo situacionismo neo-liberal.

Num momento tão grave como este, é decisivo promover a reconciliação dos cidadãos com a política, clarificar o papel dos poderes públicos e do Estado que deverá estar ao serviço exclusivo do interesse geral.

Os obscuros jogos do capital podem fazer desaparecer a própria democracia, como reconheceu a Igreja. Com efeito, a destruição e o caos que os mercados financeiros mundiais têm produzido nos últimos tempos são inquietantes para a liberdade e a democracia. O recente recurso a governos tecnocratas na Grécia e na Itália exemplifica os perigos que alguns regimes democráticos podem correr na actual emergência. Ora a UE só se pode fazer e refazer assente na legitimidade e na força da soberania popular e do regular funcionamento das instituições democráticas.

Não podemos saudar democraticamente a chamada "rua árabe" e temer as nossas próprias ruas e praças. Até porque há muita gente aflita entre nós: os desempregados desamparados, a velhice digna ameaçada, os trabalhadores cada vez mais precários, a juventude sem perspectivas e empurrada para emigrar. Toda essa multidão de aflitos e de indignados espera uma alternativa inovadora que só a esquerda democrática pode oferecer.

Em termos mais concretos, temos de denunciar a imposição da política de privatizações a efectuar num calendário adverso e que não percebe que certas empresas públicas têm uma importância estratégica fundamental para a soberania. Da mesma maneira, o recuo civilizacional na prestação de serviços públicos essenciais, em particular na saúde, educação, protecção social e dignidade no trabalho é inaceitável. Pugnamos ainda pela defesa do ambiente que tanto tem sido descurado.

Os signatários opõem-se a políticas de austeridade que acrescentem desemprego e recessão, sufocando a recuperação da economia.

Nesse sentido, apelamos à participação política e cívica dos cidadãos que se revêem nestes ideais, e à sua mobilização na construção de um novo paradigma.

 

Mário Soares

Isabel Moreira

Joana Amaral Dias

José Medeiros Ferreira

Mário Ruivo

Pedro Adão e Silva

Pedro Delgado Alves

Vasco Vieira de Almeida

Vitor Ramalho

 

Lisboa, 23 de Novembro de 2011

publicado por polvorosa às 23:46
tags:

A Assembleia Regional da Madeira, por proposta do PSD ontem aprovada com votos contra de toda a oposição, decidiu que nos plenários “os votos de cada partido presente são contados como representando o universo de votos do respectivo partido ou grupo parlamentar”.

 

 

O PSD, cuja maioria absoluta está segura por apenas mais dois deputados, garante assim que nenhuma proposta da oposição venha a ser aprovada quando tiver algumas ausências na sua bancada.

Na sua proposta de alteração ao regimento ontem aprovada, a quarta em dois anos, os sociais-democratas reforçam aquela ideia ao garantir que o voto do presidente e demais membros da mesa “são contados como incluídos no partido a que pertencem”.

O PSD alterou também a definição de quórum, ao decidir que o parlamento pode funcionar em plenário com um mínimo de “um terço do número de deputados em efectividade de funções”. Esta norma viola o próprio Estatuto Politico-Administrativo da Madeira, segundo o qual “a Assembleia considera-se constituída em reunião plenária encontrando-se presente a maioria dos seus membros [art. 52º]”.

O novo regimento introduz uma prática de outros parlamentos ao determinar, no seu novo artigo 69, que as votações ocorram “somente na última reunião de cada semana” (quinta-feira), excepto quando a conferência de líderes deliberar contrariamente.

Por outro lado, mantém a interdição de os jornalistas (sujeitos a um código de indumentária) acederem as reuniões das comissões. “Este é um regimento à altura dos desafios que a região atravessa”, sublinhou o vice-presidente da bancada social-democrata, Tranquada Gomes.

Oposição contra

O PSD rejeitou liminarmente as alterações apresentadas pelo CDS-PP, PS e PCP que, em comum, exigiram a presença regular do presidente do governo regional no parlamento, onde apenas tem comparecido anualmente para discursar no encerramento do debate do Orçamento.

A oposição propunha a realização de debates mensais com Alberto João Jardim, a audição trimestral nas comissões dos outros membros do executivo, a presença de governantes regionais no plenário quando estivessem em discussão as suas propostas e de todo o executivo na discussão de moções de censura ao governo. Tudo praxes não seguidas na Madeira, onde, também por imposição do PSD, a direita fica à esquerda no hemiciclo, e vice-versa.

No final da discussão do regimento, Rubina Sequeira (PND), em substituição da declaração de voto, fez um minuto de silêncio “pela morte da assembleia”.
publicado por polvorosa às 23:36
tags:

18
Nov 11

publicado por polvorosa às 13:29
tags:

Insidioso”* Sexta-feira, 18 de Novembro * 21:30 Horas 

 


Ano: 2010
País: EUA
Género: Fantástico, Terror
Duração: 103 min.
Classificação: M/16
Realização: James Wan

Intérpretes: Patrick Wilson, Rose Byrne, Ty Simpkins

 

 

Sinopse:

Josh (Patrick Wilson) e Renai (Rose Byrne) vivem felizes com o seu filho de três anos de idade. Quando a tragédia atinge a criança, Josh e Renai começam a ter experiências que a ciência não consegue explicar...

publicado por polvorosa às 13:27
tags:

13
Nov 11
Os militares vão concentrar-se em frente à residência oficial do Presidente da República a 30 de Novembro, dia em que o Orçamento do Estado para 2012 deverá ser aprovado na Assembleia da República.
 

A iniciativa faz parte da moção apresentada no final da manifestação da família militar, que juntou cerca de 10 mil militares numa marcha entre o Rossio e o ministério das Finanças, no Terreiro do Paço.

A vigília convocada tem por objectivo “sensibilizar o Presidente para que não promulgue o Orçamento do Estado”. O comandante supremo das Forças Armadas foi, aliás, o único responsável político vaiado na manifestação. Cavaco Silva foi sonoramente apupado quando o presidente da Associação de Praças, Luís Reis, perguntou ao microfone “onde fica o papel do Presidente enquanto supremo comandante”.

A manifestação dos militares contra a degradação das condições de trabalho começou pouco depois das 15 horas. No protesto, segundo a organização, estiveram “mais de dez mil garantidamente”, entre generais, almirantes na reforma, sargentos e praças. Não foram gritadas palavras de ordem.

Os militares manifestam o seu descontentamento com o que consideram ser a sua perda de direitos. Em causa está o cancelamento de promoções e os cortes na saúde. Mas a marcação deste protesto fica ainda marcado pelas reacções que provocou entre dois dos capitães de Abril.

No próprio dia em que os militares se decidiram pela manifestação, Vasco Lourenço, também presente no Rossio, acusou o Governo de ser um “bando de mentirosos” e apelou aos militares para defenderem a população em caso de “repressão” por parte das forças de segurança nas manifestações agendadas “como se passou no Egipto”.

Poucos dias depois, foi a vez de Otelo Saraiva de Carvalho, dizer que seria mais fácil fazer uma revolução em 2011 do que em 1975. "Bastam 800 homens", contabilizou antes de acrescentar que os militares tinham outras formas de fazer ouvir as suas reivindicações: “Para mim, a manifestação dos militares deve ser, ultrapassados os limites, fazer uma operação militar e derrubar o Governo. Não gosto de militares fardados a manifestarem-se na rua. Os militares têm um poder e uma força e não é em manifestações colectivas que devem pedir e exigir coisas", disse.

 

Visto no Jornal Público.

publicado por polvorosa às 21:41
tags:

 

Em Évora, a Fundação Eugénio de Almeida criou núcleos de voluntariado de proximidade para dar resposta às necessidades da comunidade. Baseadas nas relações de proximidade e confiança, as tarefas dos voluntários vão desde o apoio a pessoas idosas no combate ao isolamento, ao apoio ao estudo e à alfabetização passando pela reabilitação de espaços e pela promoção da inclusão de pessoas deficientes. Em articulação com diferentes entidades que actuam a nível local, os núcleos de voluntariado servem não para substituír outros apoios institucionais, mas para darem um pouco mais. «Estou aqui» é uma reportagem vídeo de Ana António, João Félix Pereira, Luís Borges e Rita Costa.

 

visto no sítio da TSF.

publicado por polvorosa às 21:18

10
Nov 11

O presidente da Companhia das Lezírias, António João de Sousa, nomeado ainda no Governo PS, vai abandonar o cargo no prazo de um mês mas deixa a maior empresa agrícola nacional, com sede em Samora Correia, Benavente, com um lucro que rondará o milhão de euros.


O melhor resultado dos últimos dez anos da maior empresa agrícola nacional, detida exclusivamente por capitais públicos, foi conseguido em tempo de crise por via da plantação de mais 300 hectares de arroz e de contratos plurianuais para a venda da cortiça. Em 2010 os lucros já tinham atingido os 510 mil euros, mas a estimativa (até Outubro de 2011) é que no final deste ano as receitas tenham mais do que duplicado.


António João de Sousa confirmou a O MIRANTE que apresentou na semana passada o pedido de cessação de funções. “Esta decisão não tem que ver com qualquer animosidade em relação à tutela”, sublinha António João de Sousa que considera que dada a exigência do cargo é necessário que o presidente do conselho de administração esteja munido de “plenos poderes” já que é também por inerência presidente da Fundação Alter Real, presidente da Associação de Beneficiários da Lezíria Grande e vice-presidente não executivo do Conselho de Administração da Orivárzea.


Depois das últimas eleições legislativas de Junho, que deram a vitória ao PSD que fez coligação com o CDS-PP, o Governo ainda não tinha tomado a iniciativa de nomear uma nova equipa e por isso o presidente do conselho de administração, António João de Sousa, bem como o vogal, Manuel Nogueira, decidiram pressionar e abandonar os cargos.


A Companhia estava em “gestão corrente” desde Dezembro de 2010 altura em que o mandato terminou. Estava prevista a realização de uma assembleia já em 2011, ainda dentro do prazo legal, o que não chegou a acontecer devido à instabilidade política. António João de Sousa garante que desde aí fez várias diligências no sentido de que o Governo tomasse uma decisão em relação ao novo conselho de administração mas não teve sucesso.


Fonte próxima da administração disse a O MIRANTE que o presidente, que se deslocava todos os dias de Évora para a sede da Companhia, encarava o cargo como “uma missão” e pretendia voltar à Universidade onde auferia rendimentos mais elevados. “Não foram questões financeiras que me fizeram aceitar o cargo”, confirma António João de Sousa, que foi chamado a exercer funções na Companhia das Lezírias em Julho de 2010, substituindo Vítor Barros, afastado pelo Governo que quis rentabilizar a empresa. O presidente da Assembleia Municipal de Viana do Alentejo, eleito pelo PS, vai regressar à vida académica já não como director de departamento na Universidade de Évora mas como docente de gestão.


Manuel Nogueira estava no conselho de administração como vogal desde 2005. Ana Caseiro, também vogal, não apresentou pedido de cessação de funções. Dois nomes são já falados como possíveis candidatos a líderes da Companhia das Lezírias. É o caso de Paulo Caetano, ex-cavaleiro tauromáquico e candidato pelo CDS-PP em Portalegre, e Salter Cid, que já ocupou o lugar de presidente das Lezírias.

 

visto no Jornal Mirante.

publicado por polvorosa às 19:56

Conan – O Bárbaro”* Sexta-feira, 11 de Novembro * 21:30 Horas 

 

 

 

 

 

 

 

Ano: 2011
País: EUA
Género: Acção, Aventura, Fantástico
Duração: 113 min.
Classificação: M/12
Realização: Marcus Nispel

Intérpretes: Jason Momoa, Rachel Nichols, Stephen Lang, Rose McGowan

 

Sinopse:

A demanda de Conan começa por vingança pessoal contra o feroz guerreiro Cimério. Depressa se transforma numa batalha épica contra violentos rivais, terríveis monstros e probabilidades impossíveis, à medida que Conan se apercebe que é a única esperança para salvar as grandes nações de Hyboria da invasão do reino pelo mal sobrenatural.

 


 

Caçadores de Dragões” (V.P)* Domingo, 13 de Novembro * 16:00 Horas 

 

 

Ano: 2008
País: EUA
Género: Animação, Aventura
Duração: 80 min.
Classificação: M/6
Realização: Guillaume Ivernel, Arthur Qwak

Vozes: António Machado, Carolina Sales, David Ventura, José Nobre, Paulo Oom, Peter Michael, Tobias Monteiro.

 

Sinopse:

Zoe é uma menina que acredita em lendas, não porque é ingénua, mas porque ela adora lendas. Para ajudar o seu tio, o senhor Arnold, a livrar-se do terrível dragão, Zoe faz de tudo para encontrar heróis que o ajudem. E quando ela encontra Guizdo e Lian Chu – dois caçadores de dragões nos tempos livres – junta-se a eles nesta divertida aventura.

publicado por polvorosa às 19:48
tags:

Contador
Correio electrónico:
polvorosa@sapo.pt
comentários recentes
Deslize ou talvez não a despedida não é inédita. "...
"De lembrar que no contexto mais difícil desde que...
Respeito o seu comentário, mas eu cá acho que foi ...
Achei descabido a alusão a Eusebio no discurso da...
Estatisticas de funcionários nas autarquias a níve...
pesquisar neste blog
 
links