Azáfama; grande atividade; agitação; rebuliço.

28
Abr 09

 

A moção apresentada pelo Vereador Rui Gusmão em reunião de Câmara está a gerar uma discussão interessante aqui.

 

publicado por polvorosa às 09:50

27
Abr 09

 

Finalmente foi anunciado o candidato do PSD para as eleições europeias. A escolha recaiu em Paulo Rangel. Depois de tantos nomes e expectativas muito elevadas, a conclusão é que a montanha pariu um rato. Rangel é um bom deputado, até agora estava a ser um bom líder parlamentar, mas daí a ser cabeça de lista para o Parlamento Europeu vai um grande salto e exige uma estaleca que Rangel ainda não tem.

Os principais erros do PSD: demorou muito tempo a escolher o candidato; o cartaz da verdade da Dr.ª Ferreira Leite é uma aberração de marketing político; correu com todos os actuais eurodeputados com excepção do Dr. Carlos Coelho quando se sabe que é um cargo que exige um período de adaptação; a negociação dos lugares das listas onde se incluem mulheres afim de garantir as quotas para depois as retirarem das listas para incluir o representante do PSD Madeira; a divisão interna do PSD na formulação das listas onde o Dr. Rui Rio foi das faces mais contestatárias, provavelmente estará já a preparar o seu caminho para a liderança; a escolha dos candidatos a eurodeputados com o braço no ar, a fazer lembrar o pior do comunismo.

 

Erros do PS: Vital Moreira passa mal na televisão e nos dois primeiros debates teve algumas dificuldades em passar a sua mensagem, de resto foram péssimos debates, nenhum telespectador saiu esclarecido; a Dr.ª Elisa Ferreira e Dr.ª Ana Gomes se querem ser Presidentes da Câmara do Porto e de Sintra respectivamente, não têm nada que estar naquela lista ao Parlamento Europeu.

 

No geral, a maior parte dos partidos foram buscar demasiadas pessoas ligadas aos próprios partidos políticos, ainda este fim-de-semana o Expresso trazia uma sondagem onde estava preto no branco que 77% dos portugueses não se revêm nos partidos políticos, assim a estratégia para evitar a previsível taxa de abstenção de 70% era colocar mais cidadãos independentes nas listas e fazer uma campanha pela positiva sobre questões europeias. Perdeu-se assim uma boa oportunidade para promover mais participação dos cidadãos e de cimentar uma velha Revolução com 35 anos que qualquer dia não terá qualquer valor para a maior parte das pessoas deste admirável mundo novo.

publicado por polvorosa às 17:43
tags:

25
Abr 09
jornal001
Publish at Scribd or explore others: jornal Jornal
publicado por polvorosa às 00:41
tags:

24
Abr 09
publicado por polvorosa às 00:06
tags:

21
Abr 09
Detalhes
 

 

Avizinha-se o fim-de-semana da Romaria a Cavalo. Compreensivelmente a Câmara está empenhada em “dar um toque na vila”, em atenção aos muitos visitantes que vamos receber neste fim-de-semana.

 

A título de contributo para a melhoria do aspecto da urbe, avanço aqui com dois reparos avulsos, entre muitos outros que infelizmente poderia fazer.
 
O Contentor do Lixo
Está para ali há mais de três semanas  de boca aberta exibindo o seu insalubre interior, alguém lhe levou a tampa. Só não foi ainda substituído ou reparado, claro está,  por manifesta falta de oportunidade ou porque os serviços competentes ainda não se aperceberam da situação. Nem me passa pela cabeça que possa haver outra explicação. Num local tão exposto a quem visita o Castelo, para não falar nas questões de saúde pública...
 
 
O Painel a caminho de Aguiar
Bem sei que não é da responsabilidade da Câmara o estado de conservação do painel da segurança rodoviária, ali ao quilómetro três, a caminho de Aguiar. Estou certo que serão inúmeros os ofícios e incontáveis os telefonemas a pressionar as entidades responsáveis para que a lona seja substituída ou o painel retirado. Mas como já não se percebe nada do que lá estava, quem fica com a fama de desleixados somos nós. Avanço então uma sugestão, encostem lá umas escadas e retirem aqueles restos fantasmagóricos de lonas podres que esvoaçam ao vento. Não custa nada e vão ver que o aspecto é logo outro.
São detalhes em que já não reparamos, tal é a insensibilização dos sentidos a que nos sujeitaram.
 
 
Leonardo Parvo
publicado por polvorosa às 23:13

Esta Moção foi apresentada na reunião camarária de 01/04/2009 pelo Vereador Rui Gusmão. A proposta contemplava medidas de combate à crise. Foi rejeitada pela CDU e pelo PSD de Viana do Alentejo. polvorosa
Publish at Scribd or explore others: professores Uncategorizable-Unca
publicado por polvorosa às 22:00
tags:

17
Abr 09

 

"Bratby was referred to as a Kitchen Sink School artist because of his interest in domestic settings. Social Realism is characterised by its refusal to idealise or flatter its subject matter and by a determination to find the real in the mundane, the dirty and the depressing. Here, Bratby shows a typical scene from British life in the 50's, giving the viewer a look at a working class, outside toilet from the perspective of someone about to use it or clean it. Most art buyers in the 50's would have enjoyed inside toilets. This work might have reminded them that, on the physical level, if not on the social, we are all equal."

 

LITTLE, Stephen  (2004) Isms: Understanding Art

 


 

Correio recebido

 

publicado por polvorosa às 19:14

15
Abr 09

 

Quinto erro capital: O Caos do Urbanismo

 

Viana do Alentejo, por culpa, sobretudo de políticas locais erradas, perpetuadas pela CDU à 16 anos neste concelho está hoje mais gorda, velha, suja e feia.

 

Gorda porque do ponto de vista do ordenamento do território, a Vila de Viana do Alentejo não tem ponta por onde se pegue. O centro histórico é invisível e pouco atractivo. O centro é exíguo e de muito difícil acesso, as acessibilidades são péssimas, as ruas estão todas esburacadas, as bermas são inexistentes, a segurança para peões é ténue, há falta de iluminação pública em alguns locais, a mobilidade para pessoas de mobilidade condicionada por exemplo, em cadeira de rodas ou bebés ou crianças em carrinho é muito reduzida. O centro de Viana não tem vida, logo a dinâmica em seu redor não existe. Mesmo em bairros novos, as zonas verdes e de lazer são escassas. 

 

Velha porque o centro de Viana do Alentejo tem hoje uma população muito envelhecida e as casas tendem para ficar em mau estado e altamente degradadas. Não existe uma política séria de arranjo habitacional, nem programas de reabilitação ou restauro destes imóveis.

O Porta 65 arrendamento jovem não existe em Viana do Alentejo simplesmente porque a Câmara não o quer apoiar, perde assim uma oportunidade de luxo para ajudar os jovens. Os jovens são obrigados a mudar-se para a periferia e o centro histórico acaba por definhar e perder vida, acabando com a animação e os espaços de compra e lazer. As montras e os espaços comerciais não têm nos jovens clientes habituais, acabam por ficar ultrapassadas e poucos atractivos, inclusive para os poucos turistas que visitam este concelho, levando à sua rápida falência ou trespasse.

 

Feia porque as casas e jardins de particulares também não estão cuidados porque as pessoas não sentem incentivo, vêm que a sua própria autarquia não dá o exemplo, não há programas de incentivo e apoio para os jardins floridos, para as casas caiadas e outras soluções originais como existem noutros concelhos. 

Os espaços verdes públicos no centro urbano não estão cuidados como mereciam, as ervas daninhas e os grafitis invadem os espaços públicos onde a população se devia sentir bem se estivessem criadas condições para isso.

Se existir planeamento atencioso é possível haver espaços públicos para todos os públicos, grupos etários e todos os cidadãos, arranjando os espaços e dialogando com a população no sentido de fazer espaços adequados e pertinentes com que as pessoas se identifiquem e se sintam bem a fazer as suas actividades quotidianas. 

 

Suja porque todas as entradas em Viana do Alentejo metem nojo, a estrada que vem de Vila Nova da Baronia uma está cheia de lixo e entulho, a de Alcáçovas apanha com os montes do estaleiro, a de Portel leva logo com um posto do gás, ali junto ao Intermarché há um cruzamento onde os acidentes são demais - já se justifica a construção de uma rotunda, e finalmente, a estrada de Aguiar onde aquele mural cheio de cartazes e porcaria está quase a cair em cima de transeuntes e dos automóveis.

Este é o pior cartão de visita possível, para os potenciais turistas do concelho, como normalmente se diz "não há uma segunda oportunidade para uma primeira boa impressão".  

 

Esta apregoada e anunciada requalificação urbana, é mais eleitoralista do que outra coisa qualquer, não ataca os problemas de fundo, é apenas uma mera maquilhagem, uma simples operação de cosmética, obra de fachada. Porque é anunciada a poucos meses de eleições autárquicas. Porque não resolve nenhum problema de facto. Todos os dias os cidadãos em Viana sentem na pele os problemas desta azáfama de obras, da inconveniência do abre buraco e tapa buraco, aqui e ali, fugas de água, rebentamentos de canos, o barulho ensurdecedor, os problemas do trânsito, etc. sem que se resolvam os verdadeiros problemas estruturais de equipamentos e estruturas obsoletas. Tal e qual como uma administração por nós conhecida que está a precisar de muito mais do que simples remendos.

 

publicado por polvorosa às 13:28

09
Abr 09

 

Em Évora estão cartazes com a cara da Dr.ª Ferreira Leite em tudo o que é rotunda. Será que alguém explica à actual Presidente que as eleições que há daqui a menos de dois meses são eleições para o Parlamento Europeu e não mais que isso. Nesta fase o PSD devia sim apresentar um candidato e uma lista ao Parlamento Europeu, debater ideias sobre a Europa, formular um Programa Eleitoral participado para se apresentar de forma construtiva aos portugueses.

 

Estou de acordo com o Professor Vital Moreira, se os socialistas europeus ganharem as eleições devem escolher o próximo presidente da Comissão Europeia. O Eng.º Sócrates quer ter por perto o tipo do "porreiro pá", mas esquece-se que na política não conta só o "nacional porreirismo", mais importante que isso são as ideias, os pressupostos ideológicos e o pensamento político, neste sentido é preferível ter neste posto estratégico alguém com quem os socialistas se identifiquem profundamente. Claro que ter um português à frente da Comissão Europeia não deixa de ter alguns aspectos positivos, mas o essencial são as políticas e a linha ideológica, até porque há portugueses e portugueses. 

O Dr. Durão Barroso tem cometido erros demasiado grosseiros para passar incólume, senão vejamos: o impasse e embrulhada do Tratado de Lisboa; o apoio ao neoliberalismo económico, a liberalização dos serviços públicos, a Cimeira das Lages que conduziu à Guerra do Iraque, a falha na regulação dos mercados com a consequente crise financeira e económica, os grandes problemas sociais na Europa onde o desemprego aparece como o mais importante.

Barroso teve o seu tempo, agora devia haver mudança de página e dar oportunidade à esquerda para encontrar soluções actuais para os grandes desafios europeus e mundiais.

 

Silvio Berlusconi não dá uma para a caixa. Primeiro foi a rainha a mandar calá-lo na Cimeira do G20 em Londres porque já não suportava a sua falta de educação; a seguir falhou a fotografia de família e deixou Angela Merkel pendurada na Alemanha, furou os protocolos todos para estar a falar ao telemóvel; e agora para as vítimas do sismo em Itália disse para fingirem que estavam a passar um fim-de-semana no parque de campismo, é preciso ter lata! Do que é que os italianos estão à espera para mandar um sapato a este sujeito?

publicado por polvorosa às 17:48

04
Abr 09

Entre os dias 27 de Março e 3 de Abril foi feita uma sondagem neste blogue.

A questão foi: "Como avalia este mandato da CDU em Viana do Alentejo presidido pelo Sr. Estêvão Pereira?."

Registaram-se 104 votos. Os resultados foram os seguintes: 69% acham que o mandato foi mau. 26% entendem que foi bom. 5% avaliam-no como razoável.

 

 

Comente estes resultados. Dê a sua opinião.  

publicado por polvorosa às 19:52

02
Abr 09

"Alguns comentários à entrevista com o Senhor Presidente da Câmara publicada no Diário do Sul.

1-Contrariamente ao que diz estes dezasseis anos foram caracterizados por uma política centralizadora, onde tudo o que não passasse pelo crivo do Presidente da Câmara foi liminarmente rejeitado e na qual qualquer opinião dissonante do seu diapasão foi tomada como oposição.

2-Apoios ao associativismo com o visível objectivo de ampliação das redes clientelares. Atribuição de subsídios sem critérios, onde por exemplo, a colectividade com mais prestígio e trabalho no concelho (a Sociedade União Alcaçovense), é praticamente tratada da mesma forma que uma qualquer colectividade ou associação, sem actividade.

3-Dizer que nos últimos dezasseis anos se mudou quase tudo é só por si uma afirmação de uma enorme arrogância. Passa um atestado de estupidez aos munícipes que de ano para ano vêm as vilas a degradarem-se, as empresas a fecharem e os empregos a desaparecerem.

4-Sabendo-se que nas últimas eleições praticamente impôs (ou impuseram), a sua reeleição, afirmar agora que está à disposição do Partido e que respeita as decisões dos Camaradas…  Ainda por cima com essa e outras atitudes provocaram clivagens, afastaram-se Camaradas e desperdiçou-se o “timing” ideal para fazer a mudança.

5-Foram necessários 16 anos para anunciar projectos estruturantes, projectos esses que de acordo com a habitual prática deste elenco autárquico, nunca foram apresentados ou discutidos com a população.

6-Quando foi altura disso não nos candidatámos aos programas apropriados, andaram entretidos a fazer sei lá o quê. Poderíamos com os dinheiros de Bruxelas ter boa parte das infra-estruturas dos centros históricos recuperadas. Agora preparam-se para anunciar grandes obras nestas áreas, depois de terem afirmado que não valia a pena recuperar os arruamentos porque isso seria só cosmética. Com que dinheiros é que vão fazer isso, porque é que demoraram tanto tempo?

7-Discordando e criticando as estratégias traçadas a nível nacional para temas como Sines, Alqueva,  IC 33, ou o”corredor azul”  percebe-se nas entrelinhas claramente o seu afastamento dos grupos de decisão. Não creio que seja só por questões de perspectivas políticas, já que outras Câmaras da mesma cor política têm conseguido encaixar-se, negociar e obter contrapartidas. Sendo que nenhum milagre alterará a nossa posição geográfica, dispensa-se o discurso da desculpabilização, pois que só nos interessa o das soluções.

8-Depois de reconhecer que na realidade não tem esperanças na criação de “projectos estruturantes de grande dimensão” para o concelho (por culpa dos outros claro), passa a descrever algumas das actividades económicas do Concelho. Fala de uns, esquece-se de outros. Não fala entre outros do enorme problema que por falta de tacto criou com os lotes das zonas industriais, problema esse que se arrasta há anos. Ou daquele caso em por causa de uns ódios de estimação inviabilizou a instalação na zona industrial de uma pequena indústria que iria criar uma série de novos postos de trabalho, enfim fala do que lhe dá jeito, compreende-se!

9-Praticamente ignorando Aguiar, referindo-se só a uns melhoramentos numa escola, ao crescimento demográfico e pouco mais, assenta as baterias em Alcáçovas, local onde ele bem sabe que o seu futuro político se decidirá. Tem o cuidado de dar garantias, que com ele será sempre tudo geometricamente dividido, independentemente da oportunidade e racionalidade dos investimentos. Como é época de caça fica sempre bem falar do Palácio, depois das eleições nunca mais volta a tocar no assunto. Este foi mais um dossier que ele e a sua equipa foram incapazes de gerir nestes dezasseis anos.

10-Termina dando a sua opinião sobre a regionalização. Bom, tem a ideia dele, eu pessoalmente, até que me convençam do contrário, sou contra. Não me parece que Lisboa esteja assim tão longe, dez milhões de habitantes não enchem uma cidade europeia e as diferenças culturais são mínimas. É preciso sim pôr a funcionar ou melhorar as estruturas existentes, que o peso do aparelho público já é mais que suficiente para que ainda o tenhamos de continuar a engordar.

Resumindo, este artigo espelha a meu ver um homem cansado da rotina de dezasseis anos, divorciado dos centros de decisões, vazio de ideias, com um discurso vago e impreciso, mas mesmo assim teimosamente agarrado ao poder."


Leonardo Parvo

publicado por polvorosa às 09:27
tags:

01
Abr 09

Apontamento positivo

A GAJA celebrou o seu primeiro ano de idade com uma festa altamente. Juventude, irreverência e animação marcaram a Festa realizada na sexta e sábado passado em Aguiar. Espera-se mais iniciativas e a continuação da dinâmica demonstrada durante este último ano. A maior parte da população apoia este grupo de jovens na ocupação dos tempos livres e na divulgação do nome de Aguiar.

 
Apontamento negativo

A entrevista do Presidente da Câmara Municipal de Viana do Alentejo ao "Diário do Sul" merece algumas notas.

Prós: defendeu a regionalização, destacou o problema da interioridade e das acessibilidades, mostrou humildade ao colocar o lugar à disposição para outro camarada de partido e tenta dar apoios às associações locais.

Contras: passou a mensagem de isolamento; fica patente a incapacidade de dialogar e entender-se com outras entidades públicas competentes regionais; não coopera com a administração central; não foi solidário nem com os colegas autarcas da CDU de outros concelhos que estão a fazer pela vida no que ao "Corredor Azul" diz respeito; não é visível nenhuma ideia de desenvolvimento nem qualquer rumo de políticas coerentes; no seu discurso despreza completamente a freguesia de Aguiar; as políticas de economia, turismo e acção social são inexistentes na câmara; maltrata o património e a cultura; nesta difícil conjuntura socio-económica não transmite confiança nem esperança à população; constatamos algum conformismo e até comodismo com a situação.

Neste momento não há evidências de existir um projecto da CDU de Viana do Alentejo forte e estruturante, isto é mais do mesmo. Desmarco-me de grande parte das declarações deste edil de quem se esperava um outro discurso e outra atitude completamente diferente.  

publicado por polvorosa às 14:50

Contador
Correio electrónico:
polvorosa@sapo.pt
comentários recentes
Deslize ou talvez não a despedida não é inédita. "...
"De lembrar que no contexto mais difícil desde que...
Respeito o seu comentário, mas eu cá acho que foi ...
Achei descabido a alusão a Eusebio no discurso da...
Estatisticas de funcionários nas autarquias a níve...
pesquisar neste blog
 
links