Azáfama; grande atividade; agitação; rebuliço.

26
Fev 09

 

[cortesia blogue Peixe Banana http://peixebanana.blogs.sapo.pt]

 

Quarto erro capital: Propaganda

 

Quarto erro capital. A propaganda eleitoralista dos eleitos pela CDU local feita com os impostos pagos por todos nós.

Ainda faltam oito meses para as eleições autárquicas, mas já vimos como esta máquina de esbanjar recursos humanos, materiais e financeiros em eleitoralismo puro e duro anda a gastar os impostos dos munícipes em fogos de artifícios,  festarolas por tudo e por nada, almoços e beberetes, passeatas absurdas, cartazes idiotas, obras desnecessárias, cabazes de não sei quê para não sei quem. Agora fiquei a saber que os nossos impostos até servem para pagar musicais, almoços, discoteca e bebidas no dia 7 de Março quando só no dia seguinte se assinala a efeméride! Estranha gestão.  

 

Alguns eleitos, até agora, andaram a "engonhar", tinham cálculos meramente com base no próprio calendário eleitoral. Não contaram com cidadãos activos e participativos, com listas de candidatos fortes. Ignorantemente não souberam prever a crise económica e social mais tarde ou cedo acabaria por cá chegar, pior, hoje não querem ver e aceitar que o mundo mudou muito e para novos problemas são necessárias novas soluções.

Agora, quase em desespero oferecem tudo a todos, lançam-se em ataques pessoais e boatos na Internet, usam os piores métodos de perseguição política, instalam uma cultura de medo nos trabalhadores e munícipes, não aceitam a diferença nem o pensamento contrário, agarram-se com unhas e dentes aos pequenos poderes.

Em três anos e quatro meses quase nada foi feito no concelho, esteve tudo parado "na mesma como a lesma". Subitamente até às eleições autárquicas, a pseudo-equipa eleita que se juntou na Câmara quer fazer tudo e mais alguma coisa, obras aqui e acolá, não poupando trabalhadores, aparências e artifícios para todos os lados, aproveitam o analfabetismo e a iliteracia de muitos populares, deixaram de ter acção para passar a ser reacção.

 

Lamento não haver mais seriedade na política. Se estas são as prioridades políticas e as escolhas para encaminhar os parcos recursos de um concelho pobre, muito mal vai esta gestão, na minha modesta opinião prioritária é a questão económica e a social, se depois disso sobrar recursos aí sim poder-se-á usá-los para fins recreativos. Os eleitos deviam ter mais responsabilidade em gerir com rigor e competência as políticas públicas, assim é um regabofe inaceitável.

Se isto não é eleitoralismo puro e duro da CDU de Viana do Alentejo então não sei o que será. Num ano desgraçado, dificuldades económicas extremas, com a miséria das famílias à vista, esbanjar os recursos económicos, fruto dos nossos impostos, com fins meramente eleitorais acho sempre uma má solução. Descartes era um grande filósofo, dizia que até pode haver muita vontade, mas se não houver entendimento não se chega nunca à razão.

Vamos ver se os próximos tempos confirmam ou não esta tese, por estes dias Viana do Alentejo não tem uma estratégia de desenvolvimento consistente, os cidadãos não se revêm naquelas práticas pouco democráticas, infelizmente acho que é desta que se vão os dedos e os anéis, lá se vai o futuro das gerações vindouras neste concelho. Por aqui, enquanto houver pão e circo, as hostes vão estando animadas e distraídas, como diz uma música do Sérgio Godinho "cá se vai andando com a cabeça entre as orelhas".         

publicado por polvorosa às 14:13

23
Fev 09

 

O Eng.º Sócrates ultimamente tem andado mal aconselhado. Convidar Hugo Chavez da Venezuela e o Partido Comunista Chinês para o Congresso de Espinho só pode ser uma brincadeira de mau gosto destes dias carnavalescos.

Compreendo que para as relações económicas com estes países faça algum sentido não os desprezar, os recentes indicadores económicos da balança comercial indicam estes países de regimes controversos como Venezuela, Líbia, Angola e outros são importantes para as exportações portuguesas, esse facto é relevante.

Mas politicamente, uma ligação a este tipo de regimes onde são comuns as práticas totalitárias, atentatórias da liberdade de expressão dos cidadãos e são pêssimos exemplos democráticos, parece-me um disparate.

Com esta gente em Espinho, quero é distância, nem que me pagassem eu punha lá os pés.

publicado por polvorosa às 14:11
tags:

publicado por polvorosa às 14:10

20
Fev 09

 

 

O Ministério Público de Torres Vedras, depois de uma queixa, provavelmente de um "diácono remédios", deu ordens para os organizadores do Carnaval daquela mesma cidade retirarem uma imagem que estava colocada numa réplica do enorme computador "Magalhães". Alegadamente por conter imagens pornográficas. Aquilo que estava ali exposto, para qualquer jovem de hoje não passa de uma ninharia. O presidente da Câmara ainda foi dizendo que seria uma chatice se tivessem de retirar o testículo do Cristiano Ronaldo pois ia dar uma trabalheira danada, safa. 

Não se percebe muito bem porque o que assistimos no caso BPN, Milénio BCP, BPP, Freeport, autarcas investigados, dívidas de clubes de futebol, etc. também é pornográfico e ninguém parece ofender-se muito com isso. Neste país, o Carnaval é no ano inteiro, ninguém leva a mal.  

publicado por polvorosa às 14:15
tags:

18
Fev 09

Ontem no Jornal da Noite, a SIC mostrou dois homens que na área metropolitana de Lisboa vivem em grutas. É chocante ver como no Século XXI, num país da União Europeia existem situações dramáticas deste tipo. A miséria humana está aí, as desigualdades são gritantes, muitos continuam a pavonear-se vaidosamente e ganaciosamente continuam a encher os bolsos à custa da desgraça alheia.

 

As instituições sem fins lucrativos e ONG's andam sem recursos, a sociedade tem dificuldades em responder a situações de emergência social grave, as empresas preocupam-se consigo mesmas esquecendo a responsabilidade social, o Estado perde-se em redes burocratas e em perdas de eficiência.

 

Será possível dormirmos descansados sabendo que existem à volta de 1200 pessoas sem-abrigo numa cidade dita cosmopolita como Lisboa? Em meio rural, a pobreza é mais envergonhada, mas também existe muita miséria e admira-me não haver soluções locais para enfrentar a crise económica e social. No meio desta turbulência pergunto a mim mesmo, quem são afinal os homens das cavernas?

publicado por polvorosa às 17:53

16
Fev 09

Aproximam-se as eleições europeias. Já se conhecem alguns candidatos. A CDU vai apresentar Ilda Figueiredo como cabeça de lista; o Bloco de Esquerda tem Miguel Portas; o MEP - Melhor é Possível dá oportunidade a Laurinda Alves.

Fala-se no nome de Marques Mendes para cabeça de lista do PSD e de Luís Amado do PS. Posto isto, já se percebe como as eleições europeias são sempre encaradas como o parente pobre do ciclo eleitoral português. De um modo geral, espera-se que o PS seja penalizado nestas eleições, independentemente de concordarmos ou não, é provável que seja castigado por um referendo ao Tratado Europeu que ficou por fazer, pela adopção de políticas liberais desta Comissão Europeia e pelo aumento do desemprego no espaço económico europeu.
 
Seria bom o povo não confundir alhos com bugalhos e decidir de entre as propostas dos partidos políticos a lista de candidatos mais fortes e aqueles que podem contribuir para a alternativa de políticas económicas, de segurança e defesa, sociais, culturais e educacionais. Vamos esperar para ver todos os candidatos, mas quase de certeza que vamos ter mais do mesmo, nomes e programas. Por norma, os partidos políticos portugueses não se conseguem renovar internamente e têm dificuldade em diferenciar-se entre si porque todos querem chegar ao chamado "centrão". É pena porque ficamos todos ainda mais confusos, com menor clarividência na distinção da diferença entre ideias propostas por partidos políticos nacionais.     
publicado por polvorosa às 18:19
tags:

 
Sócrates cometeu um erro. O reconhecimento do casamento entre pessoas do mesmo sexo já deveria ter acontecido no parlamento por proposta do verdes e do BE, adiar esta discussão para 2009/2010 é um disparate político. A eutanásia não é um assunto prioritário nos dias correntes. A regionalização não é o assunto que tire o sono aos portugueses. Sócrates fez um erro político, mesmo dentro do PS não são estas temáticas que importa discutir entre militantes.
 
A moção da "Força da Mudança" de Sócrates ganhou com 96% dos votos. A moção tem realmente muita política de esquerda, vai buscar algumas causas esquerdistas e até as chamadas questões "fracturantes". No meio daquela panóplia de acessórios esqueceu-se do essencial: o combate à crise, ao desemprego, à precariedade, apoio social, apoio à economia, preservação do ambiente, valorização da cultura, aposta na educação e investigação, combate à corrupção e fraude, etc. Sócrates não introduziu estes temas no tempo certo, tudo tem um tempo, este é o tempo destes temas.
 
Sabemos como no meio da poeira, é mais difícil ao caminhante encontrar o caminho. Talvez fosse mais adequado definir claramente as prioridades políticas, alavancar os recursos necessários, apontar para aí as discussões, as energias e os investimentos públicos. Acho que o país ganhava mais e provavelmente os portugueses reconheceriam esse esforço ao governo do Eng.ª Sócrates e talvez ainda pudesse pensar em maioria absoluta, desta forma vai ser mais difícil. Vamos analisar com atenção a prestação no Congresso do PS, pode ser que a emenda seja melhor do que o soneto, o facto de Alegre não ir à luta não pode ser considerado positivo.   
publicado por polvorosa às 18:16
tags:

10
Fev 09

 

Louçã teve na Convenção deste fim-de-semana um palco óptimo. Foi buscar Darwin para trazer para pano de discussão a questão da aprendizagem. Os tempos actuais de crise financeira; de desemprego; dificuldades económicas; especuladores-corruptos-políticos a braços com a justiça; a facção oposicionista dentro do PS personificada em Alegre, tudo isto favorece o B.E.

Nunca como agora a realidade deu tanta razão a este partido formado à 10 anos. Está a subir nas sondagens, capta eleitorado nas cidades, agrega muitos jovens, entra facilmente nas Universidades, um conjunto de sinais perspectivam um futuro interessante.

 

Principais dificuldades, na sua génese está um carácter de oposição, criticar o sistema político e os seus actores, mas será que quer vir a governar e assumir responsabilidades? Essa é a grande questão porque no interior existe duas facções: uma claramente de ruptura que pretende continuar a dizer mal e a criticar o edifício político e administrativo vigente actuamente; a outra, intenta exercer poder e ser alternativa credível numa solução de governo.

O B.E. não é só um partido político, são vários, e essa é ao mesmo tempo a sua riqueza e a sua ameaça.

publicado por polvorosa às 14:41


 

Terceiro erro capital. A vertigem das Obras.

 

Esta equipa que está na Câmara não se consegue adaptar à realidade actual, passaram três anos e quatro meses desde as eleições autárquicas de 2005, desde aí o panorama mundial e local mudou muito, o cenário económico e social nessa altura era completamente diferente.

Não é compreensível esta inflexibilidade em se adaptar aos dias correntes e à nossa actual realidade, para novos problemas é necessário novas soluções. Por exemplo, em Aguiar faz sentido fazer uma estúpida obra de sanitários públicos a pouco mais de 50 metros de uns já existentes? Esbanjar 15.000 euros na duplicação de um equipamento que já existe num local tão próximo não faz qualquer sentido. Pergunto qual é o custo-benefício de um mamarracho desses? Mais do mesmo.

Vai-se gastar 2.700.000 euros das Piscinas de Alcáçovas, mais não sei quantos milhares de euros da Cobertura das Piscinas de Viana do Alentejo, pergunto se não seria melhor canalizar essas verbas, a que se somam outras, para apoio real à economia no concelho ou para apoiar a população em sérias dificuldades sociais e económicas?

 

Agora vão fazer umas obras à pressa como é a recuperação do centro histórico, mas já se percebeu que não lhes interessa resolver as questões de fundo, a rede de água, esgotos e cabos eléctricos não vão ser alvo de intervenção quando o deviam ser efectivamente. Remenda-se aqui e ali, fazem-se umas coisas para inaugurar à pressa e sair no Boletim Municipal antes das eleições locais deste ano para ir buscar mais uns votos. A Câmara anuncia as obras e faz grande alarido através da sua publicidade, mas sem dinheiro e sem ter a certeza se haverá financiamento, é assim com o Pavilhão de Aguiar e é assim com o Centro Escolar de Viana do Alentejo.

À boa maneira portuguesa, compra-se, depois logo se vê quem paga, mas uma coisa é certa, não há almoços grátis e deixa-se a factura para quem vem a seguir, mesmo que isso comprometa um futuro sustentável para as posteriores gerações. Não existe uma noção clara dos investimentos prioritários porque não existe participação dos cidadãos, as decisões são tomadas nos gabinetes em função de interesses pessoais, da espuma dos dias, dos interesses pessoais de alguns, com as conveniências políticas de quem quer perpetuar a cadeira do poder desbaratando os recursos dos nossos impostos. Nos próximos tempos, o endividamento dos cidadãos do concelho de Viana do Alentejo vai crescer abruptamente e as obras escolhidas por um directório político não vão gerar qualquer valor acrescentado nem riqueza para o concelho, lamentavelmente.

publicado por polvorosa às 14:25

07
Fev 09

O Bloco de Esquerda na sondagem do Expresso ultrapassa o PCP e chega aos dois dígitos.

Manuel Carvalho da Silva, pessoa que muito admiro, depois de ter estado no Fórum de Serviços Públicos, onde também compareceu Alegre e os descontentes com as políticas do Eng.º Sócrates, aparece hoje na Convenção do Bloco de Esquerda.

O PCP aqui há uns tempos através do seu Secretário-Geral admitia uma coligação com o B.E., rapidamente essa conversa foi esquecida. Agora Jerónimo de Sousa admite uma coligação com o PS?! Mas alguém explica em que é que ficamos?

 

O Bloco de Esquerda tem três moções na Convenção, demonstra abertura e discussão interna, sempre de louvar.

O B.E. é um partido urbano e jovem, com futuro, mas depois dos acontecimentos com José Sá Fernandes em Lisboa vai ter dificuldade em encontrar um(a) bom(a) candidato(a). Por exemplo, Ana Drago seria uma boa candidata, mas ia perder a sua melhor deputada. O namoro com Helena Roseta pode não passar de um flirt rápido e inconsequente.

 

Será que o B.E. estará disponível para coligações pós-eleitorais com o PS para passar à acção política responsável? Acho muito difícil, mas não impossível.  

publicado por polvorosa às 20:04
tags:

04
Fev 09

 

Num período económica e socialmente muito difícil, infelizmente torna-se vulgar manifestações de racismo e xenofobia. Isso acontece um pouco pelo mundo fora, porém, quando se trata agora dos portugueses e italianos que foram para Inglaterra trabalhar numa refinaria não podemos pactuar com as ideias de alguns arruaceiros ingleses que pensam que os trabalhos em Inglaterra são para os ingleses. Estão enganados, com a globalização abriram-se as fronteiras europeias e há um espaço de livre circulação de bens, produtos e serviços. Com receio, metade dos portugueses dessa empreitada já vieram embora.     

Este tipo de mentalidade xenófoba é errada e primária, mas a minha dúvida é saber se não vamos ver disto muitas mais vezes nos próximos tempos! Espero que os governos europeus saibam ultrapassar estas vergonhosas situações e esperar que em Portugal não aconteça nada semelhante.  

publicado por polvorosa às 17:36
tags:

02
Fev 09

 

 

Ao ler os blogues concelhios verifico que existe por aí uma campanha orquestrada contra pessoas ligadas ao Movimento "Unidos pelo Concelho de Viana do Alentejo: uma Nova Esperança". 

Não acho positivo criticar cidadãos que se mobilizam para dinamizar a sua terra e criar melhor qualidade de vida onde vivem ou trabalham. Manifesto o meu total apoio àquela gente que abdica do seu tempo livre, defende os seus pontos de vista, rouba tempo à família e acredita ser possível construir um concelho melhor, mais democrático e transparente.

Repudio insinuações e difamações que não ajudam a um debate participado onde a comunidade pode vir a beneficiar.

 

Há aqui 3 tabus que é importante desmontar:

É mentira que o Movimento são só pessoas do PS. Pelo contrário, há neste Movimento de cidadãos independentes de todos os quadrantes políticos. 

É falso que os candidatos já estão definidos. Na melhor das hipóteses, há propostas de nomes. Vai ser discutido em conjunto quem tem melhores condições para constituir equipa e vir a ganhar.

Este Movimento é a verdadeira oposição a esta política perpetuada pela CDU concelhia, acho incrível como querem virar o pau e estão a fazer-se de vítimas quando são eles que detêm o poder e pelas falhas devem responder e ser responsabilizados. Onde estão os resultados das suas políticas económicas, turísticas, urbanísticas, sociais, cultura, juventude nestes últimos 3 anos e 4 meses? 

 

Não sou militante de nenhum partido político, sou independente, penso pela minha cabeça e também discordo de muitas medidas do governo do Eng.º Sócrates. 

Os tempos actuais são difíceis para a maior parte das pessoas, todos devem estar unidos, cada um na área que lhe compete, no sector onde tem uma palavra a dizer, não descriminando pessoas nem territórios.

Acho que o Movimento "Unidos pelo Concelho de Viana do Alentejo: uma Nova Esperança" iniciou um trabalho cívico importante para o desenvolvimento do concelho. Tem um rumo definido, promove a participação, utiliza as tecnologias. Os responsáveis deste Movimento, que provavelmente se manterá depois das eleições autárquicas deste ano, devem manter a sua rota, continuar a envolver as pessoas e alargar a sua base de apoio. Se isto acontecer, as três freguesias vão ganhar. 

Brevemente, vai ser apresentada no seio da estrutura, uma ou mais propostas para o nome do candidato do Movimento à Câmara, sujeito a apreciação e discussão entre os homens e mulheres que fazem parte deste Movimento. Vai ser escolhida a pessoa mais competente e capaz para gerir os destinos do nosso concelho para acabar com este regabofe que tem sido esta espécie de gestão local da coisa pública. Até prova em contrário, este Movimento é mais transparente e claro do que a Comissão Concelhia da CDU.

Contrariamente ao que se quer fazer crer, a esmagadora maioria das pessoas do Movimento são independentes, tal como eu, não têm filiação partidária, há pessoas desde a esquerda à direita com um objectivo comum, unirem-se para disputar as eleições locais e construir uma alternativa de poder.

 

Quem disto tiver dúvidas pode ler os documentos orientadores, participar nos grupos de trabalho, enviar sugestões, propostas e contributos por e-mail, ver transparentemente tudo o que se passa através do site na Internet, envolver-se nas iniciativas futuras e falar com as pessoas que até agora têm participado. Quem quiser pode aderir, aqui todos são igualmente importantes porque estamos numa estrutura horizontal. Vão ver que há um assinalável reforço da prática democrática em Viana do Alentejo, Alcáçovas e Aguiar. A esperança renasceu porque esta dinâmica está para ficar, de pedra e cal.

publicado por polvorosa às 17:46

Contador
Correio electrónico:
polvorosa@sapo.pt
comentários recentes
Deslize ou talvez não a despedida não é inédita. "...
"De lembrar que no contexto mais difícil desde que...
Respeito o seu comentário, mas eu cá acho que foi ...
Achei descabido a alusão a Eusebio no discurso da...
Estatisticas de funcionários nas autarquias a níve...
pesquisar neste blog
 
links